O porta-voz do PAN/Açores defendeu hoje uma ação “rápida e eficiente” para o empreendimento habitacional Foros do Solmar, tendo condenado as promessas dos governos socialista e de coligação PSD/CDS-PP/PPM sobre o projeto.

Pedro Neves esteve hoje em campanha eleitoral na Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, para assinalar junto do empreendimento habitacional Foros do Solmar, que se encontra ao abandono, que o projeto foi adquirido em 2020, com o governo socialista de Vasco Cordeiro no poder, tendo posteriormente o governo de coligação feito promessas, sem sucesso.

“Nós estamos em 2024 e como todos podem ver nada foi feito. Continua ao abandono de há 10 anos para cá”, afirmou o candidato pelo círculo eleitoral de São Miguel e pela compensação.

Pedro Neves considera que “esta é a mentalidade dos vários governos relativamente à habitação nos Açores”, onde “há uma crise habitacional e uma taxa de crédito brutal, taxa de inflação e matérias primas que aumentaram imenso” sem que haja uma solução.

O candidato, para além do projeto habitacional dos Foros do Solmar, aponta outro exemplo relacionado com Trás dos Mosteiros, no concelho da Ribeira Grande, somando ambos cerca 80 fogos.

Pedro Neves recorda que no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, que prevê 80 milhões de euros para a habitação, “só 8% foi executado”.

“Ninguém pode, PS e PSD, fazer promessas relativamente à habitação quando, na altura que podiam executar, não o fizeram”, declarou o candidato.

De acordo com deputado eleito na última legislatura para o parlamento dos Açores, “a solução é votar no PAN porque faz ações e arranja soluções”, defendendo uma “ação rápida e eficiente” para solucionar o empreendimento dos Foros do Solmar.

“Não se pode continuar com governo atrás de governo, a agarrarem nas promessas uns dos outros”, afirma, para frisar que “é urgente” desenvolver habitação para os jovens e classe média.

O vice-presidente do Governo dos Açores, Artur Lima, anunciou em maio que o concelho de Vila Franca do Campo vai beneficiar de um empreendimento habitacional multifamiliar com 23 habitações, orçado em 2,2 milhões de euros.

Artur Lima referiu, na altura, que o empreendimento habitacional multifamiliar dos Foros do Solmar resultará de uma empreitada “que tem um prazo de execução de 540 dias, prevê a construção de 23 habitações e a sua disponibilização aos açorianos, mediante concurso público, em regime de arrendamento com opção de compra”.

Pedro Neves refere que, “num concurso público com aquele valor, não havia nenhuma empresa” que iria apresentar-se, salvaguardando que se fosse o PAN a lançar este procedimento “esse seria uma variação de preço do que há no mercado, tendo em conta as matérias-primas”.

O candidato recordou que o reforço do PRR visou justamente fazer face ao inflacionamento das matérias-primas no mercado.

O Presidente da República decidiu dissolver o parlamento açoriano e marcar eleições antecipadas para 04 de fevereiro após o chumbo do Orçamento para este ano.

Onze candidaturas concorrem às legislativas regionais, com 57 lugares em disputa no hemiciclo: PSD/CDS-PP/PPM (coligação que governa a região atualmente), ADN, CDU (PCP/PEV), PAN, Alternativa 21 (MPT/Aliança), IL, Chega, BE, PS, JPP e Livre.