Rui Teixeira, dirigente CDU Açores

O cabeça de lista da CDU por São Miguel às eleições nos Açores disse hoje que caso a coligação formada por PCP e PEV alcance representação parlamentar apresentará como primeira proposta “um aumento para 10% do acréscimo regional ao salário mínimo”.

“Há muito tempo que defendemos que o acréscimo deve passar para 7,5%. E, perante aquilo que é o aumento do custo de vida e do custo de insularidade consideramos que ele deve passar neste momento para 10%. E essa será a primeira proposta que nós vamos apresentar na Assembleia Regional”, garantiu Rui Teixeira, em declarações à agência Lusa.

Na região, a remuneração mínima mensal tem um acréscimo de 5% face ao estabelecido a nível nacional, sendo atualmente de 861 euros.

Para o candidato, é preciso “terminar na região com este modelo de baixos salários”.

Rui Teixeira disse que a CDU está “solidária” com a manifestação de trabalhadores que decorreu hoje na cidade de Ponta Delgada, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Alimentação, Bebidas e Similares, Comércio, Escritórios e Serviços, Hotelaria e Turismo, Transportes e Outros Serviços dos Açores (SITACEHTT/Açores) para reivindicar aumentos salariais e horários que permitam conciliar a vida profissional e pessoal.

“A CDU esteve hoje na manifestação em solidariedade e a demonstrar apoio”, reforçou Rui Teixeira, reiterando também a exigência das 35 horas como “norma do horário de trabalho regional”.

O candidato da coligação formada por PCP e PEV lembrou que o acréscimo regional ao salário mínimo “foi uma proposta da CDU, na legislatura de 1996, conseguido pela maioria relativa”.

Quanto ao aumento dos salários, Rui Teixeira afirmou que a CDU “tem um conjunto de propostas na região que podem e devem ser concretizadas” e que “os deputados da CDU eleitos procurarão concretizá-las no mais curto espaço de tempo”.

“Parece que as pessoas têm de ter dois empregos para conseguirem sobreviver. Este é um cenário que em São Miguel já está a ser normal ou então fazer horas extraordinárias, o que não permite estar com os filhos, nem com a família”, apontou.

A CDU, que perdeu representação parlamentar em 2020, concorre nas eleições regionais antecipadas de domingo em todos os círculos.

A candidatura tinha agendado para o final da tarde uma ação de campanha sobre a construção da variante das Capelas, entretanto cancelada devido à chuva forte que se faz sentir na ilha de São Miguel.

Rui Teixeira lembrou, no entanto, que a construção de uma via que “escoe o trânsito na zona norte de Ponta Delgada” terá de “conciliar o interesse público com o interesse dos pequenos proprietários”.

“As práticas dos governos regionais, tanto do atual, como dos anteriores, demonstram uma dualidade de critérios: ao mesmo tempo que se protegem os interesses dos grandes proprietários, prejudicam-se os pequenos”, sustentou o candidato, para quem a situação “é ainda mais injusta”, porque os terrenos correspondem, muitas vezes, “às poupanças conseguidas ao longo de uma vida inteira de trabalho”.

Rui Teixeira considerou ainda que “será preciso apostar na economia desta zona, a começar pela produção agrícola, procurando também diversificar a produção” e alertou para “o aumento da pressão urbanística” nesta localidade da ilha.

O Presidente da República decidiu dissolver o parlamento açoriano e marcar eleições antecipadas para 04 de fevereiro após o chumbo do Orçamento para este ano.

Onze candidaturas concorrem às legislativas regionais, com 57 lugares em disputa no hemiciclo: PSD/CDS-PP/PPM (coligação que governa a região atualmente), ADN, CDU (PCP/PEV), PAN, Alternativa 21 (MPT/Aliança), IL, Chega, BE, PS, JPP e Livre.