A cabeça de lista da CDU pelos círculos do Faial e de compensação às eleições regionais dos Açores apelou hoje ao voto “verdadeiramente” útil, justificando que a assembleia regional precisa de “uma voz que faça de facto a diferença”.

A candidatura da CDU esteve hoje em ação de campanha na cidade da Horta, na ilha do Faial, para contactos com as populações e comerciantes, tendo a candidata Paula Decq Mota alertado para a necessidade urgente de melhorar “as condições de vida das pessoas para fazer face ao brutal custo de vida”.

“Temos medidas urgentes para implementar e que correspondem ao aumento dos rendimentos das populações para diminuir as dificuldades do dia-a-dia que as pessoas sentem”, disse à agência Lusa a candidata da Coligação Democrática Unitária (PCP/PEV) nas eleições antecipadas de 04 de fevereiro nos Açores.

Defendendo o voto “verdadeiramente” útil em forças políticas que “contribuam para a melhoria da vida” das populações, Paula Decq Mota, considerou que esse voto tem de ser dado às forças políticas que “as pessoas considerem que podem efetivamente propor medidas que defendam os Açores” e contra “muitas tendências de privatização e de desvalorização dos serviços públicos”.

“E, quanto mais força a CDU tiver a nível nacional e regional, isto reflete-se na melhoria da vida da pessoas”, sustentou.

A CDU, que chegou a ter dois deputados na Assembleia Legislativa dos Açores, não conseguiu obter mandatos em 2020.

A candidata sublinhou que a falta da representação parlamentar da CDU no parlamento açoriano “foi notória entre os faialenses” e pelos “açorianos em geral”.

“O Faial fica muito mais bem servido se tiver a voz da CDU a representá-lo no parlamento regional. Normalmente, os dois maiores partidos já têm os seus lugares garantidos e o que está aqui em causa é uma voz que faça de facto a diferença na defesa do Faial, na defesa dos nossos serviços públicos e que defenda a ilha para que ela possa ser um polo de desenvolvimento da região contra as tendências centralizadoras que têm existido”, salientou Paula Decq Mota.

João Oliveira, primeiro candidato da CDU às eleições para o Parlamento Europeu, em junho, e que está em visita a Região Autónoma dos Açores, evidenciou também a necessidade do reforço da coligação no plano nacional e no arquipélago açoriano.

“Existem muitas razões para votar na CDU, para dar força à CDU para que se possa avançar com soluções com vista a melhorar a vida das pessoas e abrir uma nova perspetiva de desenvolvimento para a região”, afirmou João Oliveira à Lusa.

Entre as propostas da coligação, João Oliveira destacou o aumento dos salários, o apoio à produção nacional, a valorização dos serviços públicos e uma resposta para o problema da habitação, assim como o apoio aos setores produtivos, nomeadamente as pescas e agricultura.

Onze candidaturas concorrem às legislativas regionais, com 57 lugares em disputa no hemiciclo: PSD/CDS-PP/PPM (coligação que governa a região atualmente), ADN, CDU (PCP/PEV), PAN, Alternativa 21 (MPT/Aliança), IL, Chega, BE, PS, JPP e Livre.