Valorização das carreiras e plano regional de formação para enfermeiros dos Açores, defende Nuno Barata

O cabeça de lista da Iniciativa Liberal (IL) pela ilha de São Miguel às Eleições Regionais do próximo dia 4 de fevereiro e Coordenador Regional do Partido, Nuno Barata, defendeu, esta sexta-feira, “a necessidade de reformas no Serviço Regional de Saúde” apontando a urgência de definir um “plano regional de formação para enfermeiros”.

Após reunir com a Direção dos Açores do SINDEPOR – Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Nuno Barata apontou que existam problemas “com anos” que se mantém, afastando enfermeiros de muitas ilhas por problemas ao nível da falta de habitação e afastando muitos jovens da carreira por desvalorização da mesma.

“Temos acompanhado bastante as questões da saúde nos últimos 3 anos e constata-se, que continuam a prevalecer situações que não podem continuar. Desde logo, a falta de enfermeiros na maior parte das ilhas por falta de condições de fixação destes profissionais. Há falta de habitação, apesar dos incentivos existentes, que se provam assim insuficientes para colmatar as necessidades”, declarou.

Para o candidato e dirigente liberal há essencialmente duas questões que preocupam os enfermeiros: “o reposicionamento das carreiras e a falta de formação de ativos”. Aliás, sobre formação, Barata denunciou: “Num serviço, com 20 ou 30 enfermeiros, a verba disponível para formação, por ano, é de cerca de 500 euros. Isto é não manifestamente suficiente. Os enfermeiros Açorianos precisam de mais formação, até porque em termos de casuísta, em algumas ilhas, ela é tão baixa em alguns serviços que não permite atualização. Não há um plano regional para formação de enfermeiros no ativo e a IL entende que é essencial defini-lo”.

Por outro lado, a falta de jovens interessados em inscrever-se no curso de enfermagem resulta de um mal maior de todo o País: a desvalorização das carreiras. Segundo Nuno Barata, “os jovens não se inscrevem mais nos cursos de enfermagem, porque a carreira foi menosprezada e desvalorizada ao longo do tempo. Foram todas as carreiras, mas principalmente na saúde (e, sem saúde, não fazemos nada). Eu sei que as pessoas estão habituadas a ouvir falar em obras em novas estradas, novas infraestruturas, mas nós temos de ter menos obra e mais saúde, menos betão e mais educação, menos betão e mais ação”.
Assim, afirmou, “a IL defende a valorização das carreiras, no sentido de criar na população escolar vontade de ingressar em enfermagem e em outras áreas da saúde e, depois, é preciso dar formação aos que já estão no ativo”.

Os liberais açorianos preconizam “muitas reformas” no Serviço Regional de Saúde, apontando, por exemplo, o caso dos “enfermeiros gestores que não entram por concurso público para as unidades de saúde. Nós entendemos que se devem submeter a concurso para se valorizar os que são melhores”.