O candidato do PS a presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, hoje derrotado nas eleições legislativas regionais, assumiu que ficou aquém dos resultados eleitorais que fixou para este sufrágio.

“Os resultados destas eleições são claros e evidentes na demonstração de que a minha candidatura não alcançou o sucesso que eu me propus, que eu desejava (…). Fiquei, assim, aquém dos resultados eleitorais que havia fixado como objetivo para estas eleições”, afirmou Vasco Cordeiro, numa unidade hoteleira em Ponta Delgada, onde o PS/Açores instalou o seu quartel-general nesta noite eleitoral.

Questionado sobre o seu futuro enquanto líder do PS/Açores, o cabeça de lista pelos círculos eleitorais de São Miguel e de compensação nada adiantou.

“Todas as decisões que houver para tomar sobre essa matéria e reflexões serão feitas no tempo e no local próprios. E este não é nem o tempo, nem o lugar próprio”, declarou Vasco Cordeiro.

O candidato também não esclareceu sobre se vai ocupar o lugar de deputado na Assembleia Legislativa Regional e se o partido está disponível para viabilizar o governo minoritário da coligação PSD/CDS-PP/PP.

Questionado face ao resultado alcançado se o PS não conseguiu passar a sua mensagem ou os açorianos já não querem Vasco Cordeiro, o líder do PS/Açores respondeu que o partido “não obteve o número de votos que necessitava”.

“Toda esta reflexão e todas as decisões serão feitas no tempo e no lugar próprios”, repetiu, referindo que “hoje é uma noite de eleições” e “há, certamente, agora todo um trabalho que se desenvolverá ao longo dos próximos dias, no seguimento normal de um ato eleitoral na região”.

O presidente do PS/Açores adiantou que felicitou telefonicamente o candidato da coligação PSD/CDS-PP/PPM a presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro, pela vitória no sufrágio, tendo pedido para transmitir aos líderes regionais do CDS-PP e PPM, Artur Lima e Paulo Estêvão, respetivamente, as felicitações.

Antes, o socialista dirigiu uma saudação a todos os eleitores que exerceram o seu direito de voto, “de forma ordeira, de forma que dignifica a democracia”, saudando, de modo especial, os que demonstraram confiança no PS e nele próprio.

Vasco Cordeiro expressou também uma saudação ao mandatário regional, Carlos César, presidente do PS e presidente honorário do PS/Açores, e a todos os candidatos a estas eleições regionais, “com especial destaque para os candidatos do PS”.

Neste caso, salientou “a disponibilidade para servir a causa da democracia”, assim como a coragem “para se submeterem ao juízo” dos eleitores, “algo surpreendentemente pouco valorizado”, enaltecendo e reconhecendo aqueles que a isso se predispuseram.

O líder do PS/Açores agradeceu ainda aos militantes do PS que se empenharam na campanha, “na defesa de um projeto de futuro para os Açores”, sendo credores do seu reconhecimento e da sua gratidão.

A coligação PSD/CDS-PP/PPM venceu hoje as eleições regionais antecipadas dos Açores, mas ficou a três deputados da maioria absoluta, quando estão apuradas todas as freguesias, segundo dados oficiais provisórios.

De acordo com informação disponibilizada pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, a coligação que governa a região desde 2020, formada por PSD, CDS-PP e PPM, conseguiu 42,08% dos votos e 26 lugares no parlamento regional, constituído por um total de 57 deputados.

O PS conseguiu 35,91% dos votos e 23 mandatos.