Chega, Iniciativa Liberal, Bloco de Esquerda e PAN ocuparam os cinco mandatos pelo círculo de compensação para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, numas eleições regionais que a coligação PSD/CDS-PP/PPM venceu sem maioria absoluta.

Nas eleições regionais açorianas existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo regional de compensação, que reúne os votos que não forem aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

Neste círculo, o Chega elegeu dois deputados e a Iniciativa Liberal (IL), Bloco de Esquerda (BE) e PAN elegeram um deputado cada.

Pelo Chega foi eleita Hélia Cardoso e José Sousa, pela IL Nuno Sousa, pelo BE António Lima e pelo PAN Pedro Neves.

Nas eleições de 2020, os cinco mandatos foram distribuídos por cinco partidos: Chega, IL, BE, PAN e CDS-PP, que concorreu agora em coligação com o PSD e o PPM.

Nos outros círculos, São Miguel, a maior ilha do arquipélago, elege 20 deputados, seguindo-se a Terceira, com 10 deputados, o Pico e Faial, com quatro parlamentares, e São Jorge, Santa Maria, Graciosa e Flores, com três.

A ilha mais pequena dos Açores, o Corvo, elege dois deputados.

A coligação PSD/CDS-PP/PPM venceu hoje as eleições regionais dos Açores, com 42,08% dos votos, mas com 26 lugares no parlamento, ficando a três deputados da maioria absoluta, segundo dados oficiais provisórios.

O PS é a segunda força no arquipélago, com 23 mandatos (35,91%), seguido pelo Chega, com cinco mandatos (9,19%).

BE (2,54%), IL (2,15%) e PAN (1,65%) elegeram um deputado regional cada, completando os 57 eleitos.