A abstenção nas eleições de hoje para a Assembleia Legislativa dos Açores fixou-se nos 49,67%, representando uma maior afluência às urnas em relação às eleições anteriores, segundo dados provisórios.

De acordo com a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (MAI), estavam inscritos nestas eleições 229.830 eleitores e votaram 115.662, o que significa uma abstenção de 49,67% do total.

Nas últimas eleições legislativas regionais, em 2020, a abstenção fixou-se em 54,59%, a segunda maior de sempre, a seguir à de 2016, ano em que a abstenção nas eleições regionais açorianas atingiu 59,15%, um recorde absoluto nestes sufrágios.

A coligação PSD/CDS-PP/PPM venceu hoje as eleições, elegendo 26 deputados, mas ficou a três da maioria absoluta (29 deputados).

O PS ficou com 23 deputados e pela primeira vez desde 1996 perdeu as eleições regionais.

O Chega conseguiu eleger cinco deputados, e o Bloco de Esquerda, a Iniciativa Liberal e o PAN elegeram um deputado cada.

Onze candidaturas concorreram às legislativas regionais, com 57 lugares em disputa no hemiciclo: PSD/CDS-PP/PPM, ADN, CDU (PCP/PEV), PAN, Alternativa 21 (MPT/Aliança), IL, Chega, BE, PS, JPP e Livre.

Em 2020, o PS venceu, mas perdeu a maioria absoluta, surgindo a coligação pós-eleitoral de direita, suportada por uma maioria de 29 deputados após assinar acordos de incidência parlamentar com o Chega e a IL (que o rompeu em 2023). PS, BE e PAN tiveram, no total, 28 mandatos.