O candidato do PS a presidente do Governo dos Açores nas eleições legislativas regionais, Vasco Cordeiro, pediu hoje a mobilização dos eleitores para uma grande vitória da liberdade e da democracia contra quem quer atacar estes valores.

“(…) Apelo a que se mobilizem para que no dia 04 de fevereiro, com o voto no Partido Socialista, seja uma grande vitória da liberdade, da democracia, do respeito e da nossa autonomia face àqueles que querem, às escondidas, atacar esses valores”, afirmou Vasco Cordeiro, em Angra do Heroísmo, na Terceira, onde recordou a ilha que “tanto se afirmou na luta pela liberdade, com garra, com determinação”.

Vasco Cordeiro, cabeça de lista pelos círculos eleitorais de São Miguel e da compensação, salientou ainda a “necessidade de afirmar a transparência e a verdade nesta campanha eleitoral”, para referir que o PS “apresenta-se a estas eleições não escondendo nenhum dos seus candidatos”.

“A coligação [PSD/CDS-PP/PPM] sente a necessidade de esconder aqueles que alinham nessa coligação, sabe-se lá se por vergonha, se por medo daquilo que eles podem dizer”, declarou no jantar comício, com cerca de mil pessoas, segundo a organização.

Para o candidato, também líder do PS/Açores, “o comportamento do PSD em relação aos seus parceiros faz lembrar aqueles livros do Astérix e da aldeia dos gauleses que amordaçavam o bardo e escondiam-no nas festas apenas para ele não incomodar”.

“É assim que o PSD entende os seus parceiros”, declarou.

Vasco Cordeiro alertou ainda que “há algo que está tão bem escondido nesta campanha eleitoral” e que interessa a que todos “tenham bem presente quando forem votar”.

“Esta não é uma coligação de três partidos, esta é uma coligação de quatro partidos que inclui também o Chega”, declarou.

Na manhã de hoje, o cabeça de lista reuniu-se com o núcleo da ilha Terceira da Associação de Alojamento Local e com empreendedores instalados no TERINOV – Parque de Ciência e Tecnologia da ilha Terceira.

Após a primeira reunião, destacou a importância das acessibilidades aéreas para continuar a desenvolver o turismo.

Segundo o candidato, o Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) “fez um acordo de pagar 4,2 milhões de euros em dois anos voando a Ryanair menos”, o que “coloca a ênfase na questão do número de lugares”.

“Esquece aquilo que é um dos aspetos fundamentais, a presença dos Açores na rede de comercialização da Ryanair”, declarou, notando que, em seis ilhas, há “uma retração do número de dormidas em novembro de 2023 face a novembro de 2022”.

Já após a reunião no TERINOV, o candidato destacou a aposta dos governos do PS “na inovação, empreendedorismo, ciência e tecnologia”, para realçar que esta área foi “desmerecida na importância que tem” pelo executivo insular.

Para Vasco Cordeiro, é necessário colocar, de novo, em funcionamento esta área “em benefício da fixação de populações e da criação de emprego qualificado”.

O Presidente da República decidiu dissolver o parlamento açoriano e marcar eleições antecipadas para o próximo domingo, dia 04 de fevereiro, após o chumbo do Orçamento para este ano. Onze candidaturas concorrem às legislativas regionais, com 57 lugares em disputa no hemiciclo: PSD/CDS-PP/PPM (coligação que governa a região atualmente), ADN, CDU (PCP/PEV), PAN, Alternativa 21 (MPT/Aliança), IL, Chega, BE, PS, JPP e Livre.

Em 2020, o PS venceu, mas perdeu a maioria absoluta, surgindo a coligação pós-eleitoral de direita, suportada por uma maioria de 29 deputados após assinar acordos de incidência parlamentar com o Chega e a IL (que o rompeu em 2023). PS, BE e PAN tiveram, no total, 28 mandatos.

A ilha Terceira elege 10 deputados para o parlamento regional. A cabeça de lista do PS por este círculo é Andreia Cardoso.