O candidato à presidência do Governo Regional dos Açores pela coligação PSD/CDS-PP/PPM disse hoje que a região tem défice de oferta habitacional e o executivo, sob a sua liderança, planeou a construção de “1.000 novas habitações até 2026”.

José Manuel Bolieiro referiu hoje, durante uma ação de campanha para as eleições regionais antecipadas de 04 de fevereiro, em São Vicente Ferreira, no concelho de Ponta Delgada, São Miguel, que “os Açores inteiros têm um défice de oferta habitacional” e que a aposta no setor permite não só incentivar a fixação de pessoas como possibilitar a mobilidade interna interilhas e a captação de imigrantes.

O candidato lembrou que o seu Governo de coligação (PSD/CDS-PP/PPM) desenhou uma solução para o setor, no quadro do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), para garantir nova construção, reabilitação de edifícios existentes e novos loteamentos para autoconstrução.

“Aqui, às nossas costas, temos um caso de loteamento para a autoconstrução (…). À nossa frente temos loteamentos para nova habitação, bem como também a oportunidade que temos de, em todas as ilhas, mas também fortemente aqui em São Miguel, garantir o nosso universo já planeado de mais 1.000 novas habitações até 2026, entre a construção nova, a reabilitação e a cedência de loteamento infraestrutural”, declarou aos jornalistas.

No mesmo bairro onde se encontrava, Bolieiro destacou a construção de uma creche, lembrando que sob a sua liderança o executivo açoriano mudou o paradigma: “Nós implementámos um regime da gratuitidade das creches em regime universal e, portanto, sem dependência dos escalões de rendimento familiar”.

“Já atingimos, ao contrário das 600 crianças que tinham acesso a creche gratuita com o anterior governo [do PS], até 31 de dezembro do ano passado, 4.000”, acrescentou.

Segundo referiu, “isso permite, desde logo, garantir um nível de poupança às famílias que aponta para os 4 milhões [de euros], contra o meio milhão anterior”.

“Já se vê aqui uma mudança da governação para melhor, amiga das famílias, amiga do desenvolvimento, da fixação das populações, da demografia através da natalidade que queremos reforçar”, apontou.

Na ação de campanha de rua realizada em São Vicente Ferreira, a caravana da candidatura da coligação PSD/CDS-PP/PPM contactou com a população e fez apelos ao voto.

José Manuel Bolieiro entrou em cafés e num minimercado e cumprimentou os habitantes que se encontravam junto das suas habitações, tendo destacado a importância da estabilidade política na região.

“No dia 04 de fevereiro, a escolha é ou continuar a andar rumo ao nosso futuro ou, a outra opção, andar para trás. Eu penso que a todos nos interessa andar para a frente. Por isso é que a continuação da governação que eu lidero é uma vantagem (…). Mais. Com estabilidade, com a certeza de que não seremos derrubados pelo capricho de outros”, afirmou.

O também líder do PSD/Açores reiterou que as suas políticas “são certas” e que a sua governação “é para as pessoas, não é para as coisas”.

“Não se pode andar para trás. Quem recusou a descida dos impostos não pode agora tomar conta de um Governo que queira revogar o que a gente fez”, disse, numa alusão ao PS, em diálogo com a proprietária de um café.

Onze candidaturas concorrem às legislativas regionais, com 57 lugares em disputa no hemiciclo: PSD/CDS-PP/PPM (coligação que governa a região atualmente), ADN, CDU (PCP/PEV), PAN, Alternativa 21 (MPT/Aliança), IL, Chega, BE, PS, JPP e Livre.