Alexandra Manes, candidata do Bloco pela Terceira salienta que, apesar “do crescimento exponencial do turismo”, com receitas de milhões, “distribuição da riqueza gerada pelo sector “é muito desigual, porque os trabalhadores continuam a ter contratos precários e ganhar muito mal”.

Em declarações após uma reunião com o SITACHETT, a candidata do Bloco apontou a luta contra a precariedade e contra a desigualdade salarial entre homens e mulheres como prioridade.

Para inverter esta situação, o objetivo do Bloco é fazer com que a atribuição de apoios públicos, no âmbito do Construir 2030, impliquem a criação de trabalho estável e o cumprimento pela igualdade salarial entre homens e mulheres que desempenhem funções iguais.

Alexandra Manes lembrou que, nos Açores, em média, as mulheres ganham menos 92 euros do que os homens.

“O Governo não pode continuar a apoiar as empresas para criarem injustiças e trabalho precário”, disse a candidata.

O caminho para melhorar os rendimentos dos açorianos passa também por uma aposta na educação, nas qualificações dos trabalhadores e pelo aumento do salário mínimo regional.
Vivemos numa região onde “há pessoas que apesar de trabalharem continuam a ter que recorrer ao RSI” e isso “é uma prova clara de que há necessidade de aumentar salários”, concluiu a candidata do Bloco de Esquerda pela ilha Terceira.