Vasco Cordeiro elege como prioridades para a ilha do Pico a ampliação da pista do aeroporto, a melhoria de condições de operacionalidade no porto de São Roque, a construção de um novo centro de saúde nas Lajes do Pico e a reativação do processo de recuperação da vinha.

O candidato a Presidente do Governo Regional dos Açores falava perante centenas de apoiantes, nas Lajes do Pico, na apresentação dos candidatos do PS por aquela ilha, às Regionais 2024.

Vasco Cordeiro lembrou que, em 2020, o Governo Regional do Partido Socialista “deixou concluído um estudo que analisava as várias opções de ampliação do aeroporto do Pico e as formas de financiamento de cada uma dessas opções”, salientando que “aquilo que temos hoje, da parte do Governo Regional PSD/CDS/PPM, é um anúncio, em abril do ano passado, a dizer que se ia ser assinado um contrato para a elaboração de um estudo e, em janeiro de 2024, não se sabe nada desse estudo, quando ele tinha um prazo de 150 dias para ser executado”.

O Presidente do PS/Açores defendeu que é necessário “reforçar os cuidados de Saúde prestados na Ilha do Pico”, principalmente “aqueles que são feitos em parceria com o Hospital da Horta” e salientou a importância de “avançar com a construção do novo Centro de Saúde das Lajes do Pico”, coisa que o Governo da coligação PSD/CDS/PPM “não foi capaz de fazer”.

Face ao desinvestimento no processo de recuperação da vinha que se tem registado nos últimos anos na ilha do Pico, Vasco Cordeiro diz ser necessário “um novo impulso no aproveitamento da riqueza que a vinha ainda tem capacidade de gerar” nesta ilha e apontou como estratégia a “recuperação do ímpeto do programa VITIS”.

Vasco Cordeiro garantiu que o PS “não está contra a construção do núcleo de recreio náutico no porto de São Roque do Pico”, mas realçou a importância estratégica de “reforçar as condições de operacionalidade do porto comercial de São Roque, garantindo o aumento do cais acostável”, para que o abastecimento desta ilha “continue a funcionar em ajuda da economia do Pico e do seu desenvolvimento”.

Vasco Cordeiro lembrou que o PS “venceu as eleições Regionais em 2020” e que “foram necessários cinco partidos que se uniram para afastar o PS do Governo Regional”, que na altura garantiram “estabilidade” e que “eram capazes de fazer mais e melhor do que o PS”.

“Passados três anos apenas, está à mostra que não foram capazes de garantir estabilidade, não garantiram a governabilidade e não fizeram mais e melhor do que o PS”, vincou.

O Presidente do PS/Açores considerou que estes partidos formaram uma “coligação negativa contra os Açores e contra os Açorianos” e acusou o PSD, o CDS-PP e o PPM de “não terem um projeto de futuro para os Açores”, apenas o “objetivo de evitar que o Partido Socialista possa voltar ao poder”.

“Se o PSD/CDS/PPM não foram sequer capazes de levar uma legislatura até ao fim, como podem pedir aos Açorianos que insistam numa receita que se revelou de ingovernabilidade, de falta de estabilidade e de falta de projeto para os Açores?”, apontou.

Vasco Cordeiro sublinhou que os Açorianos precisam de “recuperar a confiança na capacidade do Governo Regional de ser um agente ativo de desenvolvimento que ajude os empresários, que ajude as instituições, particularmente de solidariedade social” e que “esteja ao lado das famílias e das empresas Açorianas para levar os açores para a frente”.

“Este Governo PSD/CDS/PPM já demonstrou que é incapaz de levar os Açores para a frente. Pelo contrário, está a deixar os Açores para trás. O Partido Socialista oferece um projeto de Futuro para a nossa Região, que aposte na ilha do Pico, porque isso é também apostar no desenvolvimento dos Açores”, finalizou o candidato a Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro.