O Governo Regional dos Açores reúne-se hoje em Conselho extraordinário, por via digital, para avaliar os estragos causados pela depressão Hipólito no arquipélago, disse à agência Lusa fonte da Presidência.

Segundo a fonte, a reunião realiza-se na tarde de hoje e o tema será a recente intempérie que se abateu sobre o arquipélago.

Na reunião, o Governo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) pretende “fazer um primeiro levantamento dos prejuízos causados até ao momento e analisar possíveis respostas para a situação”, indicou.

Entre quarta-feira e quinta-feira, a Proteção Civil dos Açores registou um total de 53 ocorrências em seis das nove ilhas do arquipélago devido à passagem da depressão Hipólito, sem registo de vítimas.

Segundo o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), entre quarta-feira e as 12:27 locais de quinta-feira (13:27 em Lisboa) “foram contabilizadas, no total, 53 ocorrências em seis ilhas, nomeadamente em São Miguel, Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial”.

“As últimas situações reportadas estão relacionadas com inundações de vias, inundações em habitações, queda de árvores, queda de estruturas e danos em estruturas”, informou a Proteção Civil açoriana.

A forte ondulação que se fez sentir nos Açores, na sequência da passagem da depressão Hipólito, provocou na quinta-feira de manhã estragos e inundações em moradias e lojas na cidade da Horta, na ilha do Faial, obrigando as autoridades a encerrar algumas vias ao trânsito.

“Já há muito tempo que não nos deparávamos com um cenário tão gravoso. A quantidade de água do mar é tão grande, tão grande, que as sarjetas e o escoamento pluvial não estão a dar vazão, daí a água estar a vir também para a rua principal da cidade”, explicou na ocasião à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários do Faial, Nuno Henriques.

Os agentes da PSP chamados ao local encerraram a avenida marginal da cidade ao trânsito e até a circulação pedonal foi condicionada numa parte do troço, para evitar que a forte ondulação provocasse danos pessoais, além das inundações em moradias e estabelecimentos comerciais.

O presidente da Câmara Municipal da Horta e responsável pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, Carlos Ferreira, adiantou que, além dos estragos em casas e estabelecimentos comerciais, há também a registar danos em equipamentos públicos e no terminal marítimo.

As ligações marítimas entre as ilhas do Triângulo (Faial, Pico e São Jorge), que são asseguradas pela empresa Atlânticoline, foram também canceladas, devido à forte ondulação, e até o navio de transporte de mercadorias “Monte da Guia”, que estava a operar na Horta, foi obrigado a sair do porto comercial, devido ao rebentamento dos cabos de amarração.

O IPMA mantém o aviso amarelo para as ilhas do grupo Oriental (São Miguel e Santa Maria), entre as 23:00 locais de hoje (00:00 de sábado em Lisboa) e as 14:00 locais de sábado (15:00 em Lisboa), devido à precipitação por vezes forte.

O aviso amarelo é emitido sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.