Aurora Ribeiro, primeira candidata do Bloco pelo Faial, considera que só um forte investimento no Serviço Regional de Saúde poderá dar resposta à falta de médicos, enfermeiros e assistentes operacionais no Hospital da Horta.

No âmbito de uma reunião com o conselho de administração do Hospital da Horta, ontem, Aurora Ribeiro defendeu o aumento de incentivos financeiros e não financeiros à fixação de médicos e melhores condições de trabalho para as outras classes profissionais do setor da saúde, para que seja possível dar uma melhor resposta à população, com os recursos humanos adequados às necessidades.

O Hospital da Horta, o mais pequeno dos três da região, serve cinco ilhas e tem uma área de abrangência de cerca de 40.000 pessoas. A deslocação de doentes de outras ilhas para a Horta e do Faial para o exterior absorve uma grande parte do esforço administrativo e também financeiro, mas é a falta de pessoal que representa o maior desafio de gestão deste hospital.

O orçamento abaixo das necessidades obriga à existência de equipas reduzidas, o que torna muito difícil a gestão do dia-a-dia, e dificulta também a própria formação externa dos médicos, essencial para a atualização e acompanhamento do conhecimento que continua sempre em evolução.

“Num hospital periférico, a formação externa torna-se ainda mais essencial, uma vez que as novidades do trabalho científico da medicina não circulam de forma tão orgânica como nos hospitais mais centrais do país”, explica Aurora Ribeiro.