O PS de São Miguel alertou hoje para o “contínuo desinvestimento” que a maior ilha dos Açores tem sido alvo por parte do Governo Regional, de coligação PSD/CDS-PP/PPM, com repercussões em “vários setores” de atividade económica.

“São vários os setores de atividade económica que têm vindo a sofrer com a falta de investimento público, mas também com a ausência de uma nova estratégia de desenvolvimento integrado que capacite a maior ilha do arquipélago a vencer os desafios e constrangimentos com que hoje se confronta”, lê-se numa nota de imprensa dos socialistas.

Citado na nota de imprensa enviada às redações, o secretário coordenador do PS São Miguel, André Franqueira Rodrigues, refere a situação do Porto de Ponta Delgada, que se debate com “vários constrangimentos” que têm afetado, “de forma severa”, a operacionalidade portuária e o abastecimento de matérias-primas e mercadorias.

“A ampliação da capacidade portuária de Ponta Delgada tem, necessariamente, de ser encarada e o Governo não pode continuar a empurrar com a barriga para a frente, penalizando, com a sua inércia, a atividade económica de São Miguel, com efeitos, também, no desenvolvimento da região”, defende André Franqueira Rodrigues.

Além disso, o terminal de passageiros do aeroporto de Ponta Delgada “há muito que tem a sua capacidade esgotada”, apontam os socialistas.

“Também aqui o Governo não pode continuar a assobiar para o lado e deve agir, junto da concessionária, para garantir que este investimento inadiável se concretize”, considerou o secretário coordenador do PS São Miguel.

No âmbito dos transportes terrestres, o PS de São Miguel não compreende o estado de “profunda letargia atual” e preconiza “uma profunda reforma” neste matéria, “com a passagem da competência da sua organização e gestão para a Associação de Municípios de São Miguel”.

Para o PS de São Miguel é, também, necessária “uma profunda reforma ao nível operacional”, que responda às necessidades das populações, com “um sistema mais eficiente e tendencialmente gratuito para os residentes”, que concilie o transporte público com um serviço de MetroBus e que ligue os principais aglomerados populacionais da ilha de São Miguel.

O PS de São Miguel defende, ainda, uma oferta de transportes terrestres adequada aos territórios de baixa densidade e horários de reduzida procura.

O secretário coordenador socialista realçou, “que nesta como noutras matérias”, os socialistas vão continuar a apresentar soluções e propostas que “efetivamente possam contribuir para o desenvolvimento social e económico de São Miguel, corrigindo o que for necessário”, por via do diálogo “com todos”.

“Como está, sem investimento e sem estratégia, é que não podemos continuar”, concluiu André Franqueira Rodrigues, citado na mesma nota de imprensa.