O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, defendeu o reforço da relação com a Diáspora.

O autarca, que falava no Centro Cívico de Santa Clara na primeira sessão de lançamento do livro  “Conversas da Diáspora – 50 açorianos pelo mundo”, realçou que “a ligação dos Açores com a Diáspora é, sem dúvida, uma mais valia. Dá-nos dimensão Atlântica, mundial, cultural, económica e social e permite-nos criar um elo de ligação imprescindível, que não seria possível sem a partilha do amor pelos Açores”.

Uma publicação que vem ao encontro do que a Câmara Municipal de Ponta Delgada tem vindo a defender a nível do reforço da relação com a Diáspora defendeu o Presidente, agradecendo a José Andrade e a Ernesto Resendes por este testemunho escrito, que “regista as histórias da nossa Diáspora e as faz perdurar no tempo, podendo um dia servir de base para um intercâmbio de boas práticas e até estudos sobre a nossa identidade”.

“Ao folhear este livro repleto de testemunhos, somos invadidos por uma alegria e um orgulho ao ver nossos emigrantes da Diáspora a conseguirem vingar em terras distantes. Construíram sonhos e deixaram a sua marca em outras paragens, levando o nome dos Açores pelo mundo a fora”, expressou Pedro Nascimento Cabral.

Após a visualização da projeção de um vídeo com excertos das 50 entrevistas biográficas presentes nesta obra, que será apresentada publicamente nas seis cidades da Região Autónoma dos Açores, entre 26 de fevereiro a 2 de março, o Presidente do Concelho de Ponta Delgada também destacou o quanto “é bom ver como, hoje, os nossos emigrantes falam, orgulhosamente, dos Açores, como uma terra diferente daquela que deixaram no passado. É bom ver o sentimento de saudade e ao mesmo tempo o orgulho e reconhecimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos Açores ao longo dos anos”.

Para José Andrade, “esta obra escrita a várias mãos reúne 50 entrevistas a personalidade açorianas, mas podiam ser 50.000. São 50 açorianos notáveis, que muito contribuem para a projeção e afirmação dos Açores no mundo, mas que não nos fazem esquecer um número incontável de açorianos menos notados, que merecem por igual a nossa devida homenagem”.

Esta obra de 560 páginas, editada pela Letras Lavadas, resultou da iniciativa as “Conversas da Diáspora” da Direção Regional das Comunidades do Governo dos Açores, que promoveu esta série de entrevistas biográficas, através das redes sociais, em todas as semanas de 2023.

Este livro foi coordenado por José Andrade (Diretor Regional das Comunidades) que escolheu os convidados e conduziu as entrevistas, enquanto Davide Lopes (coordenador do Núcleo de Apoio às Comunidades) transcreveu as entrevistas e coordenou a equipa de produção técnica constituída por Elisa Costa, Raquel Rodrigues e Sofia Silva (técnicas superiores da Direção Regional das Comunidades).

A obra agora lançada reúne, então, entrevistas com personalidades que nasceram nos Açores e se afirmaram da Diáspora como: Al Pinheiro, Ana Lopes, Andrea Moniz-DeSouza, Ângelo Garcia, Batista Vieira, Conceição Flores, Diniz Borges, Duarte Miranda, Dulce Maria Scott e Durval Terceira, bem como Eduardo Borba da Silva, Francisco Cota Fagundes, Francisco Resendes, Frank Souza, Idalina Gonçalves, Irene Blayer, Isidro Menezes, Jácome Armas, João de Brito, João Luís Pacheco, John Correia, Jorge Ferreira, José António Morais, D. José Avelino Bettencourt, José Carlos Teixeira, José Francisco Costa, Luís Mesquita de Melo e Luís Miranda, Manuel Bettencourt, Manuel de Medeiros, Manuel Eduardo Vieira, Manuela Bairos, Marc Dennis, Márcia Sousa da Ponte, Maria Hortência Silveira, Maria João Dodman, Maria Lawton, Mário Silva, Mary Alsheikh, Nellie Pedro, Nuno Moniz, Onésimo Teotónio Almeida, Paulo Jorge Cabral, Renata Rodrigues, Richard Machado, Sara Freitas, Tiago Domingues, Tony Cabral, Tony Goulart e Victor Santos.