O treinador do Santa Clara, Vasco Matos, afirmou hoje que a equipa está com uma “motivação muito grande” para a receção ao FC Porto, nos quartos de final da Taça de Portugal de futebol.

Em conferência de imprensa realizada no Estádio de São Miguel, o técnico dos açorianos assumiu que este será “um jogo diferente” e que é normal que os índices motivacionais estejam elevados.

“É normal que haja uma motivação muito grande internamente nos jogadores. Isso também não nos pode retirar o foco no nosso trabalho, no rigor e nas nossas dinâmicas como equipa. Não podemos pensar que vamos para uma festa. Temos de ser muito competitivos e organizados e mesmo assim pode não chegar”, vincou.

Para o timoneiro dos ‘encarnados’ de Ponta Delgada, a partida será “uma oportunidade do Santa Clara mostrar o seu trabalho”, mas apela a que os jogadores encarem o duelo de uma forma “muito séria”.

Vasco Matos sublinhou ainda que o encontro com os ‘azuis e brancos’ foi “preparado de igual forma” aos jogos da II Liga, mesmo tratando-se o FC Porto do “grande favorito”.

“É uma grande equipa [FC Porto], mas nós, dentro da nossa realidade, percebemos que temos de ser muito solidários e trabalhar muito durante o jogo. O favoritismo é todo do FC Porto, que é uma grande equipa, muito bem trabalhada e com valores individuais muito grandes”, destacou.

O técnico do Santa Clara considera, no entanto, que o favoritismo dos ‘dragões’ não pode “retirar a ambição” da sua equipa nem condicionar o desenrolar do encontro.

“O FC Porto é uma equipa muito forte no jogo pelos corredores, que mete muitos jogadores em zona de finalização e nas segundas bolas. Temos de olhar para os pormenores em que o adversário é muito forte. Defensivamente, é uma equipa muito agressiva, com ‘timings’ de pressão muito fortes coletivamente. […] Sabemos que no momento defensivo arriscam no momento de pressão”, apontou.

Sobre os elogios de Sérgio Conceição, que afirmou que se o Santa Clara estivesse na I Liga portuguesa “estaria do meio da tabela para cima”, Vasco Matos referiu que não se pode “valorizar muito isso”.

“É bom [receber os elogios], mas não nos pode adormecer em nada, porque o que nos alimenta não é o que vem de fora, mas sim a mensagem interna diariamente. Ficamos contentes porque o trabalho é valorizado”, assumiu.

Ausente da partida por lesão está o lateral-direito David Bruno, assim como os médios Adriano e Serginho.

O Santa Clara é atualmente o primeiro classificado da II Liga portuguesa, com 43 pontos, e para atingir os ‘quartos’ teve de eliminar Ribeirão, Vianense, Elvas e Nacional.

O FC Porto, detentor do cetro, mede forças com os açorianos, em busca de uma inédita presença no lote de quatro finalistas, na quarta-feira, a partir das 15:00 locais (16:00 em Lisboa), no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, nos Açores, para os ‘quartos’ da Taça de Portugal, em jogo sob arbitragem de Gustavo Correia, da associação do Porto.