O representante da República para os Açores, Pedro Catarino, defendeu hoje que todos devem exercer o direito de voto nas eleições regionais para reforçar a democracia e a autonomia, manifestando esperança numa redução da taxa de abstenção.

“O voto é muito importante e todos devemos usá-lo e exercê-lo, para satisfação da nossa autoestima, mas também para reforço da democracia e da autonomia. E também para o futuro dos nossos filhos”, afirmou Pedro Catarino, em declarações aos jornalistas.

O representante da República para a Região Autónoma dos Açores falava, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, depois de ter votado, no Centro Comunitário e Social de São Pedro, para as eleições legislativas regionais, que decorrem hoje.

Pedro Catarino salientou que “uma das obrigações mais importantes” dos cidadãos “é o direito, que também é um dever cívico”, de proceder à escolha dos governantes através do voto.

“Nós temos a felicidade de viver numa sociedade em que prevalece a tolerância, o respeito mútuo, o primado do direito e a garantia dos direitos e liberdades fundamentais, temos a felicidade de viver em paz e democracia e temos de fazer por merecê-lo, através de cumprirmos as nossas obrigações”, adiantou.

Numa região que apresenta tendencialmente taxas elevadas de abstenção, o representante da República para os Açores disse ter “esperança” numa maior participação neste ato eleitoral.

“Tenho esperança. Estamos numa conjuntura muito importante, em que vai haver uma sucessão de três eleições num curto espaço de tempo. São três eleições muito importantes para o futuro da região, todas elas. Portanto, acho que isso serve também para consciencializar as pessoas que têm de participar, têm de se manifestar, têm de contribuir para o fortalecimento das instituições democráticas. No mundo em que vivemos é importantíssimo”, apontou.

Em dia de sol, na ilha Terceira, Pedro Catarino frisou que não há desculpas para ficar em casa e não votar.

“Não há desculpas. O tempo está maravilhoso. Para quem julgue que está sempre a chover nos Açores, não é verdade. Tem dias maravilhosos como hoje. E é um dia maravilhoso o dia em que votamos”, rematou.

Cerca de 230 mil eleitores são hoje chamados a votar para escolher os 57 deputados na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, naquelas que são as primeiras eleições regionais antecipadas na história da autonomia do arquipélago.

Até às 19:00 locais (mais uma hora em Lisboa), estão abertas as urnas em 291 secções de voto nas nove ilhas do arquipélago.

Concorrem às eleições 11 forças políticas, oito partidos e três coligações: PSD/CDS-PP/PPM, CDU (PCP/PEV), Alternativa 21 (MPT/Aliança), PS, Chega, BE, PAN, Livre, ADN, Iniciativa Liberal e Juntos Pelo Povo.

Mais de metade dos cidadãos inscritos nos cadernos eleitorais dos Açores não votou em cada uma das legislativas regionais realizadas desde 2008, com o recorde de abstenção, de 59,15%, a registar-se em 2016, de acordo com os mapas oficiais dos resultados das eleições para a Assembleia Legislativa dos Açores publicados em Diário da República.

Nas últimas eleições legislativas regionais, em 2020, a abstenção fixou-se nos 54,59%.