Duzentos e quarenta e cinco eleitores requereram o voto antecipado nas legislativas regionais dos Açores, que se realizam em 04 de fevereiro, de acordo com um levantamento feito pela Lusa junto dos 19 municípios do arquipélago.

A legislação em vigor prevê que os eleitores recenseados nos Açores que estejam internados em estabelecimento hospitalar ou que estejam presos, embora não privados de direitos políticos, podem requerer o voto antecipado, tendo o prazo para efetuar o pedido terminado na segunda-feira.

Segundo o levantamento efetuado pela agência Lusa junto dos 19 municípios dos Açores, os concelhos da ilha de São Miguel foram os que registaram o maior número de requerimentos para voto antecipado: 117 no município de Ponta Delgada e 46 no concelho da Ribeira Grande.

Em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, foram feitos 38 pedidos de voto antecipado.

Nos concelhos de Vila Franca do Campo, Nordeste e Povoação, todos na ilha de São Miguel, assim como no município do Corvo, nenhum eleitor requereu o voto antecipado.

De acordo com o mapa oficial publicado em 13 dezembro em Diário da República, relativo aos deputados a eleger para a Assembleia Legislativa Regional dos Açores, estão inscritos 229.921 eleitores, quando em 2020 eram 228.572.

Em 11 de dezembro, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou a dissolução da Assembleia Legislativa dos Açores e a marcação de eleições regionais antecipadas, na sequência do chumbo do orçamento regional para este ano.

O executivo de coligação (PSD/CDS-PP/PPM), chefiado por José Manuel Bolieiro, deixou de ter apoio parlamentar maioritário desde que um dos dois deputados eleitos pelo Chega se tornou independente e o deputado da Iniciativa Liberal rompeu com o acordo de incidência parlamentar, em março.

Às eleições de 04 de fevereiro concorrem, no total, 11 candidaturas, incluindo três coligações.