A passagem da depressão Hipólito pelo arquipélago dos Açores provocou hoje 17 ocorrências nas ilhas do Pico, São Jorge e Graciosa, sem provocar vítimas, revelou a Proteção Civil açoriana.

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa, num comunicado enviado às redações, que, na sequência da passagem da depressão Hipólito pelo arquipélago, foram registadas até às 15:49 locais (16:49 em Lisboa) um total de 17 ocorrências, sendo “nove no Pico, quatro em São Jorge e quatro na Graciosa”.

“As situações reportadas correspondem, sobretudo, a inundações de vias, inundações em habitações e transbordo de ribeiras”, referiu a fonte.

Segundo o SRPCBA, nos locais das ocorrências, para apoio e resolução das situações, têm estado elementos dos bombeiros, da Direção Regional das Obras Públicas, dos Serviços Florestais, dos Serviços Municipais de Proteção Civil, da PSP e da GNR.

A Proteção Civil dos Açores contactou hoje todos os corpos de bombeiros da região e os Serviços Municipais de Proteção Civil para “estarem em estado de prontidão”, devido à passagem da depressão Hipólito, que está a afetar o arquipélago.

A população foi aconselhada a adotar medidas de autoproteção, nomeadamente manter limpos os sistemas de drenagem, bem como os adjacentes às residências, acautelar objetos soltos ou outros que possam ser projetados pelo vento e consolidar telhados, portas e janelas.

Segundo a fonte, a população deve ainda fechar bem portas, janelas e persianas, circular só em caso de necessidade e afastar-se de áreas baixas junto da orla marítima.

Num comunicado enviado esta manhã às redações, a delegação regional dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou que a depressão Hipólito, com um sistema frontal associado, encontrar-se-á, na tarde de quinta-feira, “a cerca de 150 km a sul das Flores, com uma pressão no seu centro de 980 hPa”.

Prevê-se que a depressão provoque “um aumento significativo da intensidade do vento, com rajadas na ordem dos 115 quilómetros por hora no grupo Oriental” (São Miguel e Santa Maria), 110 quilómetros por hora no grupo Central” (Terceira, São Jorge, Faial, Pico e Graciosa) e “até 100 quilómetros por hora no grupo Ocidental” (Flores e Corvo).

Segundo o IPMA, “provocará também um aumento da agitação marítima com ondas que podem atingir os 7 metros de altura significativa em todo o arquipélago”.

“Associada a esta situação meteorológica, deverá ocorrer precipitação por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada. A influência desta depressão deverá começar a sentir-se a partir da manhã do dia 10 de janeiro (quarta-feira) e manter-se-á pelo menos até ao fim de semana”, adianta o IPMA.

Devido à depressão, o IPMA emitiu, na terça-feira, aviso laranja para as ilhas do grupo Central e Oriental dos Açores por causa do vento e da precipitação forte, podendo ser acompanhada de trovoada, situação que se deverá manter até ao início de quinta-feira.

O aviso laranja é o segundo mais grave da escala e é emitido em “situação meteorológica de risco moderado a elevado”.