O número de passageiros desembarcados nos portos dos Açores entre janeiro e novembro superou o valor total de 2022, mas continuou abaixo dos números de 2019, segundo dados revelados hoje pelo Serviço Regional de Estatística (SREA).

Nos primeiros 11 meses de 2023, desembarcaram na região 540.111 passageiros por via marítima, número que superou o valor total de 2022 (506.143) em 6,7%, segundo dados divulgados na página da Internet do SREA e consultados pela Lusa.

Em comparação com o período homólogo, em que se registaram 485.572 desembarques, o arquipélago contabilizou mais 54.539 passageiros, que representaram um aumento de 11,2%.

Ainda que se aproximem, os números de 2023 continuam abaixo dos registados em 2019, pré-pandemia de covid-19.

Nesse ano, entre janeiro e novembro, foram registados 541.123 desembarques nos portos dos Açores, mais 1.012 do que em igual período de 2023, tendo-se verificado uma quebra de cerca de 0,2%.

Desde 2020 que está suspensa a operação sazonal da Atlânticoline que ligava todas as ilhas do arquipélago (com exceção do Corvo), com navios de maior dimensão, entre maio e setembro.

Nos meses de época alta, há agora apenas ligações marítimas entre as ilhas do grupo central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) e entre as Flores e o Corvo.

Olhando apenas para os valores de novembro, a região registou uma ligeira quebra (0,3%) face a 2022, passando de 27.979 desembarques para 27.882.

A ilha do Pico, que tem várias ligações diárias ao Faial, foi a que registou maior movimento de passageiros, entre janeiro e novembro, com 246.690 desembarques, mais 11,6% do que no período homólogo.

O Faial registou valores semelhantes, com 229.732 passageiros desembarcados, um aumento de 10,4% em comparação com os primeiros 11 meses de 2022.

Já a ilha de São Jorge, que também tem ligações diárias ao Pico e ao Faial, foi a que verificou a maior subida percentual (16,3%), com 52.599 desembarques.

As ilhas do grupo Ocidental (Flores e Corvo) são ligadas pela ‘linha rosa’, entre duas e seis vezes por semana, consoante a época.

Nas Flores, o número de desembarques entre janeiro e novembro (2.122) cresceu 4,7%, face ao período homólogo, e no Corvo (2.009) 5,3%.

As ilhas Terceira e Graciosa, que têm ligações marítimas de passageiros apenas na época alta, foram as únicas a registar um decréscimo homólogo de passageiros desembarcados no período em análise.

Na Terceira (4.755), a quebra foi de apenas cinco passageiros (0,1%), enquanto na Graciosa (2.204) a descida foi de 13,8%.