O Presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, considerou hoje que as declarações do Governo Regional a propósito das dívidas a fornecedores e de apoios a instituições que se avolumam “são, literalmente, desculpas de mau pagador. O problema, ao mesmo tempo, é que não é com essas desculpas de mau pagador que se honram os compromissos que estão por saldar nem as dívidas”.

“A razão para o aumento exponencial da dívida financeira da Região, bem como das dívidas a fornecedores e de apoios destinados a empresas e instituições culturais e desportivas, entre outras, é simples, embora dramática: é uma gestão descuidada, incapaz e incompetente das finanças públicas regionais que leva que, ao mesmo tempo que os Açores têm hoje mais recursos financeiros à sua disposição, do que tiveram no passado recente, têm mais dívida financeira e mais dívida a fornecedores. E isso é da exclusiva responsabilidade do atual Governo Regional!”, acrescentou o líder socialista.

“Este Governo Regional prevê arrecadar, em apenas 3 anos, mais cerca de 109 milhões de euros de impostos dos açorianos do que o anterior Governo do PS/A. Este Governo Regional, em comparação, por exemplo, com o último Governo Regional do PS/A, recebeu do Governo da República mais cerca de 30 milhões de euros, em apenas 3 anos”, salientou.

Vasco Cordeiro, que se sustentou em dados do próprio Governo Regional, sublinhou que quer a dívida pública, quer a diferença entre as receitas e as despesas, “batem sucessivos recordes negativos e de desequilíbrio”.

“A dívida pública, de acordo com o Banco de Portugal, já tinha passado, no final de 2022, a fasquia dos 3 mil milhões de euros. O défice da Região, de acordo com o Tribunal de Contas, em 2022, atingiu cerca de 400 milhões de euros. E face a tudo isto, o Governo Regional ainda sacode a água do capote?!”, questionou.

“Se no final deste ano, há empresas à espera há meses de receber o que lhes é devido e instituições culturais e desportivas, entre outras, à espera do pagamento de apoios, o único responsável é o Governo do PSD, do CDS e do PPM!”, reforçou o também candidato a Presidente do Governo Regional dos Açores.

“Há pretensas desculpas, como é o caso, que são autênticos insultos a quem espera e desespera por receber o que é seu. Não sei o que me choca mais: se a desfaçatez da pretensa justificação, se a ligeireza com que este assunto parece ser tratado”, concluiu Vasco Cordeiro