Vasco Cordeiro defendeu, na sua mensagem de Natal e Ano Novo que, em 2024, os Açores devem estar “mais unidos e coesos”, de modo a que estejam “prontos a enfrentar todos os desafios”.

O Presidente do PS/Açores defendeu uns Açores “onde seja possível viver com estabilidade” e “ajudar as famílias e as empresas, ouvindo as pessoas, as suas vontades e as suas necessidades”.

Para Vasco Cordeiro, um Governo Regional deve “ajudar e não ignorar, dando a mão e ajudando a levantar”.

Fazendo uma leitura global dos tempos que atravessamos, o candidato a Presidente do Governo Regional dos Açores salientou que, “num mundo em constantes mudanças, com tanta guerra e desunião, precisamos de voltar a acreditar que só a união, a coesão e a esperança de uns Açores inteiros, ligados por ar e mar, nos darão a confiança necessária para de olhos no futuro, caminharmos no novo ano, lado a lado, sem hesitar e, sobretudo, sem deixar ninguém para trás!”.

Vasco Cordeiro dirigiu-se a “todos os Açorianos de coração ou de nascimento”, mas também a “todos os nossos conterrâneos, que estão a viver fora da nossa terra, no continente português, na diáspora, ou em qualquer outra parte do mundo” para deixar uma “mensagem de esperança e a certeza de que estarão sempre no nosso pensamento e no nosso coração, unidos por esta força maior, que é ser-se Açoriano aqui ou em qualquer outra parte”.

“Precisamos todos uns dos outros. Não prescindimos de ninguém! Dos que trabalharam uma vida inteira na nossa terra e pela nossa terra e, agora, já estão na reforma; dos que trabalham todos os dias para fazer dos Açores, ou pelos Açores, o melhor que podem e sabem; dos que estão ainda a estudar e a preparar-se para novos desafios; dos que escolheram outros lugares para viver, mas não deixam de nos visitar sempre que podem; dos que não sendo dos Açores, optaram por aqui ficar”, reforçou o candidato a Presidente do Governo Regional pelo PS/Açores, Vasco Cordeiro.