D. Armando Esteves Domingues dirige primeira mensagem de Natal aos açorianos e exorta-os a escutarem “os gritos de uma humanidade ferida” oferecendo-lhe “ um caminho novo” assente na Esperança que o Natal anuncia e que vai para além “da festa social”

O bispo de Angra, que dirige a sua primeira mensagem de Natal a todos os diocesanos insulares, pela primeira vez no dia 25 de dezembro, na RTP Açores, depois do Telejornal, às 20h30 (Hora dos Açores, menos uma que no território continental) afirma que a simplicidade da gruta de Belém “é a mais bela mensagem de Natal” porque nos foca no essencial: “a esperança cristã abre sempre caminho a outra vida”, em que “ninguém fica para trás, marginalizado, abandonado, descartado”.

“A gruta de Belém, na sua simplicidade, ajuda-nos a compreender o essencial: Cristo nasceu e veio para todos, todos, todos. Não permite que deixemos alguém para trás, marginalizado, abandonado, descartado” refere D. Armando Esteves Domingues na referida mensagem.

O prelado alerta para as dificuldades deste tempo, chamando a atenção para a guerra e para a pobreza.

“Celebramos este Natal num tempo difícil. As noites escuras do mundo continuam a fazer-nos sofrer com os gritos da humanidade: a guerra, a fome, a falta de habitação, as dificuldades financeiras de tantas famílias, a doença, a exclusão, a privação da liberdade, são experiências duras que nos convocam a redescobrir a esperança cristã e a plantá-la no coração de quem vive estes problemas mais de perto” afirma D. Armando Esteves Domingues, que prossegue recordando que o Natal é a “festa da esperança”.

“O Natal cristão não pode ser apenas feito de bonecos de barro no presépio ou ser reduzido a uma festa social. Tem que ser festa marcada pela Esperança” afirma concretizando: “No cuidado ao outro, como Maria e José cuidaram de Jesus naquela noite em que todas as portas foram fechadas; no amor confiante, de nos sabermos filhos acolhidos nos braços amorosos de Deus Pai; na ajuda ao próximo, com a coragem de nos abrirmos a uma solidariedade concreta, na certeza de que a Estrela de Belém, do Natal de Jesus, irradiam luzes de amor e confiança que continuam a ser mais poderosas que as trevas”.

Atento ao contexto sócio-político do arquipélago, conclui: “Não haverá crise política que sempre dure, pobreza que sempre exclua, dignidade humana que seja sempre roubada, abuso que seja sempre tolerado…A esperança cristã abre sempre caminho a outra vida: a gestos gratuitos de amor, de ternura e de compaixão, que alimentam uma cultura do cuidado”.

Na mensagem intitulada “Nasceu Cristo, a nossa Esperança”, D. Armando Esteves Domingues presta ainda homenagem ao primeiro presépio idealizado por São Francisco de Assis em Greccio, sobre uma rocha.

“Este belo espaço natural, formado pela lava vulcânica, lembra que o Salvador do mundo, desde o início, não teve medo da simplicidade e da pobreza, e que se identifica com os mais pequenos da terra” salientou elogiando o papel da família, sobretudo neste tempo de Natal.

“ Penso e peço por todas, todas, todas as famílias. Peço que Jesus possa ser o seu encanto e lhes traga, como prenda, os dons da alegria, da paz, da ternura e do amor que gera unidade. Lembro também quem não tem família e os que a perderam” afirmou.

“Neste Natal, peço-vos que nos disponibilizemos todos, todos, todos para darmos continuidade ao caminho que já iniciamos e que iremos trilhar até 2025, participando e refletindo, a partir da Igreja que somos. Podemos ser sementes de uma esperança renovada para o mundo” exortou ainda lembrando que “as maiores esperanças nascem nos contextos mais sombrios.

“Neste Natal, olhemos para a nossa própria existência, com os mesmos olhos de Jesus, o verdadeiro autor da nossa esperança”.

O prelado termina a sua primeira mensagem de Natal exortando “cada família, cada comunidade eclesial, cada hospital, Estabelecimento Prisional, Instituição pública ou privada onde as pessoas estão no centro” que possam ser neste neste momento “uma gruta acolhedora para todos os irmãos, a começar pelos mais frágeis e necessitados. Aí nascerá Deus, porque os espaços onde vence o amor torna-se gruta onde Deus se faz presente!”.

A mensagem de Natal do bispo de Angra será transmitida na RTP Açores, no dia 25, às 20h30. D. Armando Esteves Domingues presidirá à Missa da Vigilia do Natal, às 23h00, na Sé de Angra, uma celebração que terá transmissão em direto na RTP Açores.