A comissão de ilha de São Miguel do Partido Socialista aprovou, por unanimidade, os habituais e vagos critérios para efeitos de escolha dos candidatos pelo círculo eleitoral de São Miguel à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

De igual modo, isto é, por unanimidade, foi também aprovada, pelo Conselho Regional do PSD/Açores, a candidatura através de coligação pré-eleitoral do PSD-CDS/PP-PPM. Os militantes, sentados em ambas as salas, lá terão as suas razões.

Eu, que até já estive numa daquelas salas, confesso que não percebo nenhuma das unanimidades. No caso do PS, pelo facto do modelo estar mais do que esgotado. Até quando vai haver votação… de coisas já decididas? Todos sabemos como vai ser a representatividade.

Todos sabemos a bitola da notoriedade. Todos sabemos, inclusivamente, quem vai continuar na lista. Alguns até sabem quem já está a escolher o guarda roupa. Esta terra é muito pequena e ainda há quem continue a pensar que Sant’Ana é uma mini Casa Branca. Essa visão distorcida ajuda a explicar muitas coisas…

No caso do PSD, pelo facto daquela unanimidade assentar numa enorme falsidade. Todos sabemos o que pensa o dirigente A da coligação. Todos sabemos o que diz o dirigente B do líder do chamado partido da Terceira.

Todos sabemos o que o dirigente C diz ao companheiro chefe da Ribeira Grande do chamado rei do Corvo. Todos sabemos a enorme farsa que foi aquela votação. Não tinha de ser assim. Nem num lado, nem no outro! Um dia será diferente.

Terá de ser! Uma vez que acredito que ainda há homens e mulheres que dizem e agem sem quaisquer amarras. Apenas respondendo à sua consciência. Consciência que impede que se diga uma coisa fora das salas e outra, totalmente diferente, dentro de quatro paredes.

Por mais contas que haja para pagar, não há dinheiro que pague a nossa liberdade. De pensamento e de ação. Com isto não defendo qualquer rebelião ou revolução interna. Nada disso. Defendo, tão só, que as pessoas tenham respeito por si próprios. Em qualquer circunstância.

Em qualquer momento. Política à moda da “boneca da preta” tem o resultado que está à vista de todos. E a tendência será sempre piorar… Ainda que alguns, nas mais diversas salas da política partidária, continuem a aplaudir. Tal como a orquestra na fatídica viagem do Titanic…