O serviço de Cardiologia do Hospital Divino Espírito Santo (HDES) de Ponta Delgada, nos Açores, dispõe a partir de hoje da funcionalidade de eletrofisiologia, que evita o envio de doentes para os hospitais do continente.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o HDES refere que, a partir de hoje, “passa a dispor de mais uma funcionalidade realizada no serviço de Cardiologia, mais concretamente na Unidade de Intervenção Cardiovascular/Sala de Hemodinâmica”.

“Trata-se de uma área específica da Cardiologia que até à data não estava instalada no Serviço Regional de Saúde e que justificava o envio de algumas dezenas de doentes por ano para hospitais centrais no continente”, lê-se.

Segundo a nota, a eletrofisiologia invasiva “permite uma análise detalhada dos mecanismos responsáveis pelas arritmias, a definição da sua localização e, quando possível, o tratamento definitivo com recurso a energia de radiofrequência (ablação por cateter) e/ou crioablação”.

“Para que fosse possível a realização desta técnica foi necessário adquirir competências específicas, nomeadamente ter médicos com subespecialidade em eletrofisiologia cardíaca e técnicos de cardiopneumologia dedicados a esta área, bem como meios técnicos/equipamentos muito diferenciados”, explicou na nota o diretor do serviço de Cardiologia do HDES, Dinis Martins.

O serviço de Cardiologia do HDES, em articulação com o seu Conselho de Administração e a Secretaria Regional de Saúde, assegura que “tem evoluído e introduzido ao longo dos anos novas técnicas e procedimentos, dotando e capacitando o Serviço Regional de Saúde dos Açores para o melhor tratamento” dos doentes.