O deputado único do Chega/Açores, José Pacheco, disse hoje que mantém abertura para que sejam alcançados “consensos sérios” e admitiu ponderar o seu sentido de voto num segundo orçamento regional, se contemplar questões como habitação e apoios sociais.

A informação é avançada numa nota de imprensa, onde se revela que o deputado José Pacheco “esteve esta manhã reunido com o presidente do Governo Regional dos Açores, a pedido de José Manuel Bolieiro”, com o objetivo de “dar início a um diálogo”.

O Plano e o Orçamento dos Açores para 2024 foram chumbados na quinta-feira, na votação na generalidade na Assembleia Regional, na Horta, com os votos contra de IL, PS e BE e as abstenções do Chega e do PAN.

Os partidos que integram o Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM) e o deputado independente Carlos Furtado (ex-Chega) votaram a favor dos documentos.

O presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro, já anunciou que o executivo tenciona apresentar uma nova proposta.

Segundo a nota de imprensa do Chega, no encontro com o chefe do executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) o deputado do Chega/Açores “voltou a manifestar a sua abertura para que se cheguem a consensos, reais, sérios e construtivos”, tendo em conta uma nova proposta de Orçamento, conforme está estipulado na legislação.

Citado na nota, José Pacheco garantiu que o partido “não vai em chantagens, nem as faz e muito menos tem atitudes irrefletidas, infantis e irresponsáveis, como alguns andam a fazer, provocando a instabilidade que não se quer para os Açores”.

O deputado deixou a “garantia da possibilidade de ponderar o seu sentido de voto” num segundo orçamento, desde que um novo documento contemple “de forma mais assertiva” questões como a habitação, principalmente para casais jovens, apoios aos idosos, à classe média e aos jovens e uma maior fiscalização aos apoios sociais.

Para o parlamentar, os “Açores e os açorianos estão acima de qualquer politiquice e de falta de compromisso de alguns”.

José Pacheco sustentou ainda que o Chega “constrói pontes e não fecha portas” a ninguém.

O deputado disse também que, qualquer que seja a decisão do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que na quinta-feira vai receber os partidos representados no parlamento açoriano, o Chega/Açores “está pronto, como sempre esteve, quer seja para ir a votos já, ou noutra qualquer altura”.