A certificação europeia obtida em 2015 permitiu subir os preços pagos ao produtor e aumentar a produção da meloa de Santa Maria, que passou a estar presente em quase todas as ilhas açorianas e no continente português.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Agromariensecoop – Cooperativa de Produtos Agropecuários da Ilha de Santa Maria, nos Açores, realçou que a classificação de Indicação Geográfica Protegida (IGP), atribuída pela Comissão Europeia em 2015, “mudou muita coisa” na comercialização da meloa da ilha.

“O preço da meloa pago ao produtor tem vindo a aumentar desde que houve [o] processo do IGP. É um processo que permite manter uma certa qualidade média elevada, porque exige determinados controlos, que vão desde a produção, à plantação, até à comercialização”, explicou Duarte Moreira.

A título de exemplo, assinalou que todas as meloas contêm um “selo de certificação com um número único”, que permite identificar “o produtor e a forma de produção”.

Segundo o responsável, o processo de certificação, apesar de ter tido origem no Governo Regional, implicou a criação da cooperativa, uma vez que era “necessário existir uma entidade privada para gerir a classificação”.

“O processo de certificação e o aparecimento da Agromariensecoop são processos quase simultâneos. Antes de aparecer a cooperativa, os produtores de meloa estavam dispersos, competiam uns com os outros, a meloa tinha baixo valor e era vendida única e exclusivamente no mercado de São Miguel”, recordou.

Atualmente, a meloa de Santa Maria está presente no continente português e em todo o arquipélago açoriano, à exceção da ilha Graciosa (uma vez que essa ilha também produz o fruto).

“A entrada no mercado do continente permitiu um aumento muito significativo das toneladas de meloa porque o mercado regional já não conseguia absorver toda a produção que tínhamos”, declarou.

Para este ano, a produção de meloa da cooperativa deverá rondar as 80 ou 90 toneladas: “Produzimos em excesso para os Açores, em défice para o mercado continental”.

A meloa cultivada na ilha açoriana de Santa Maria foi classificada devido ao sabor doce e suculento quando madura e ao elevado teor de vitamina C, muito superior à média das meloas comuns.

A IGP é a classificação ou certificação oficial regulamentada pela União Europeia atribuída a produtos gastronómicos ou agrícolas tradicionalmente produzidos numa região.

Com um peso médio que se situa entre os 800 gramas e um quilograma, a meloa de Santa Maria é produzida ao ar livre, em solos ricos em potássio, e está, habitualmente, no mercado entre julho e setembro.