Texto e foto: José Araújo

E foi Pedro Soares do HC PDL que inaugurou o marcador aos 21:38, pensava o treinador Sandro que a ansiedade ia desaparecer e Diogo Serrano do Oeiras dos Continentais igualou aos 21:14. Foi preciso o árbitro ter assinalado uma penalidade a favor do Oeiras para António Silvadesfazer a igualdade 2 – 1.

O HC PDL não se intimou com o resultado,mas jogando sobre pressão e com muita ansiedade sofreu o 3 – 1, por intermédio de António Silva que fez o “Bis” no jogo, falhando logo depois uma penalidade, mas com defesa com mérito de Ricardo Possidónio.

Contudo, acabou por ser a turma da casa a não concretizar após a marcação de uma penalidade por intermédio de Pedro Soares. E nos quatro minutos finais desta primeira parte os jogadores do HC PDL só pensavam no intervalo para retificar o que fizeram, que terminou em 3 – 1 favorável aos Continentais.

O Oeiras controlou bem a primeira parte, foi superior a todos os níveis, muito embora os micaelenses foram os que abriram o resultado.O HC Ponta Delgada pressionou muito, mas não o suficiente para reduzir o marcador.

Logo no arranque do segundo tempo, o HC PDL foi atrás do prejuízo e reduziu para 2 – 3 por Francisco Freitas que era um jogador inconformado com o resultado na altura. E foi de novo o “homem golo” dos micaelenses Pedro Soares que empatou o marcador 3 – 3, estávamos a meio da segunda parte. Parecia que os micaelenses apostavam na vitória no jogo, mas por demérito próprio não estavam a conseguir levar a sua avante.

Nos cinco minutos finais o Oeiras pressionou alto, fez transições rápidas e fez o 4 – 3 por Manuel Silva e o 5 – 3 por Afonso Magro. Neste período Pedro Soares numa boa transição e isolado com o guarda redes adversário não conseguiu marcar.

No minuto 1:39 por palavras dirigidas ao árbitro, Nelson Calisto foi punido com o 2º cartão azul e a marcação de um livre direto para o Oeiras, que Manuel Silva fez o 6 – 3, resultado com que terminou a partida.

Fazendo uma apreciação ao jogo nesta 2ª parte vi o HC Ponta Delgada fazer ataques à baliza adversária de 10 a 15 segundos, que não foram concretizados em golos. Quem não marca sofre e foi o que aconteceu, talvez por alguma inexperiência de alguns atletas.

Por seu lado o AD Oeiras aproveitou as fragilidades do adversário, apostou nas transições rápidas e na primeira parte o resultado podia ser mais volumoso com as muitas ocasiões e por passes mal finalizados. Na 2ª parte pareceu-me que a equipa do Oeiras estava desligada e foi aproveitada pelo HC Ponta Delgada que reduziu o resultado por duas vezes. Nos minutos finais foi o Oeiras que tomou as rédeas do jogo e resolveu o a seu favor.

O árbitro de categoria A1 Rui Leitão, foi competente, controlou o jogo exibiu o cartão azul quando foi preciso e não foi o protagonista, sendo assim nada a apontar ao seu trabalho.

Equipas

HC Ponta Delgada

Cinco Inicial: GR Ricardo Possidónio, Francisco Freitas, Pedro Soares, Nelson Calisto e Mário Jesus.

GR Manuel Magalhães, Miguel Teves, Tiago Pimentel, Fábio Larsen e Rodrigo Pimentel.

Treinadores: Sandro Melo e Herberto Resendes

Golos de: Francisco Freitas (1) e Pedro Soares (2)

Disciplina: Nelson Calisto (azul e azul) e Miguel Pimentel (azul)

AD Oeiras “B”

Cinco Inicial: GR Telmo Emídio, Diogo Serrano, Sebastião Dias, Afonso Magro e Ruben Almeida

GR Rodrigo Pratas, António Silva, André Fragoso, Ruben Almeida e Martim Matos

Treinador: Diogo Dias

  • Golos de: Diogo Serrano (1), Manuel Silva (2), António Silva (2), Afonso Magro (1)
  • Disciplina: Miguel Silva (azul)