#vergonha(alheia)

A Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores já está empossada. Foi assim dado o pontapé de saída na XIII Legislatura. E foi com os pés que o Chega decidiu começar a representar os mais de 10 mil eleitores que depositaram o seu voto no partido do André Ventura. Aos representantes do Povo exige-se, entre outras coisas, respeito e muita cabeça. O cartaz levantado pelos 5 representantes do Povo, com a menção “#vergonha”, é um momento que entristece todos os democratas. O resultado de uma votação, livre e por isso democrática, só é uma “vergonha” para quem não respeita a democracia. O Chega, em vez de ter ficado surpreendido pelo facto do seu candidato a vice-presidente da Assembleia ter obtido mais do que os 5 votos da sua bancada, decidiu fabricar um curto vídeo para o Tiktok. A ideia até nem é inovadora, uma vez que se trata de um número mediático importado da Assembleia da República, mas causa-me sempre a mesma reação. E fico ainda mais desiludido por ter consideração e estima por representantes do Povo que, por circunstâncias várias, estão sentados na bancada do Chega. Sei que não estão minimamente confortáveis com números como aquele que vimos. Mas temo que a coisa não fique por ali. A probabilidade do Chega nos presentear com “coisas” de calibre ainda pior é muito grande. Oxalá esteja enganado! Mas ao ouvir as declarações do líder da bancada do Chega, Deputado José Pacheco, a falar em desrespeito pelos mais de 10 mil eleitores que votaram no seu partido, ignorando que mais de 100 mil não o fizeram, fico à espera dos próximos episódios de tão particular entendimento da democracia.

#escolhas

O Presidente Luís Garcia, na sequência de um salutar acordo entre os partidos da Autonomia, foi (e bem) reconduzido para novo mandato. Saúdo democraticamente esta expectável escolha. Tal como saúdo o Deputado João Castro, eleito novo líder do grupo parlamentar do PS. A escolha, neste caso, já não era tão expectável.Mas como vem aí outras escolhas, ficará para depois…

#Açores

Enquanto se aguarda pela tomada de posse dos membros do XIV Governo e, posteriormente, pela discussão e votação do programa do Governo, gostava que todos os 57 deputados colocassem este hastag acima de tudo o resto. O futuro dos Açores decide-se nos Açores e não pode continuar em modo pausa por muito mais tempo!