Os candidatos socialistas pelo círculo eleitoral dos Açores e os representantes do SINAPOL (Sindicato Nacional de Polícia) reuniram este sábado, na sede em Ponta Delgada, mantendo a porta aberta a uma procura conjunta por soluções capazes de responder às aspirações dos efetivos da PSP e GNR, destacando o papel fundamental que os profissionais das Forças de Segurança desempenham para o país.

“Tem sido feito um esforço efetivo para valorizar gradualmente a profissão, mas ainda assim, temos de ter a humildade de dizer que há margem para aprofundar este caminho”, afirmou Francisco César à margem do encontro.

Neste sentido, o cabeça de lista pelo círculo eleitoral do PS Açores à Assembleia da República revelou que o PS tem propostas que servem como ponto de partida ao processo de diálogo, tais como a “revisão ao nível de salários e suplementos de missão de risco”.

“A solução, no nosso entender, passa por substituir a componente variável do subsídio de risco da PSP e da GNR, que corresponde a 20% da remuneração base, por um suplemento equivalente a uma parcela fixa da remuneração dos titulares dos cargos máximos das forças de segurança, nomeadamente o Diretor Nacional da PSP e o Comandante Geral da GNR, seguindo o modelo já aplicado aos profissionais da PJ”, explicou.

O Partido Socialista tem este como um ponto de partida mas deixa a porta aberta às negociações. Francisco César deixou claro que “há disponibilidade total para chegarmos a acordo, mas sempre com o respeito pela ordem e segurança do povo português.”

O candidato lembrou que Pedro Nuno Santos esteve já reunido com a plataforma que representa estes profissionais no início do ano, onde deixou a garantia de que este será um tema prioritário após ser conhecido o desfecho das eleições do próximo dia 10 de março.