Estão mais evidentes os desequilíbrios políticos que reinarão nos Açores. Com este programa eleitoral, dificilmente a coligação do governo regional durará 4 anos. As repetidas promessas de mais diálogo rapidamente serão, como sempre, esquecidas. A razão é simples: serão precisos novos malabarismos e jogos de bastidores para servir os interesses pessoais e garantir a sobrevivência do governo regional. Portanto, o que se prevê é mais do mesmo: mais pobreza, mais desigualdades, menos condições nos Hospitais e nos Centros de Saúde públicos, menos desenvolvimento e piores condições nas Escolas.

Perante a vergonhosa vontade de ir para o governo regional a todo o custo, acabou por cair o discurso da extrema direita. Não podia ser de outra forma, sobretudo porque não têm a relevância que, nas suas cabeças, pensavam ter. E isto mesmo com a escandalosa promoção feita pela comunicação social nacional!

Entretanto, as Legislativas de 10 de março aproximam-se e está cada vez mais claro que a CDU é quem se opõe, com maior coerência e firmeza, à política de direita que o PS praticou, ao contrário do que prometeu. O Paulo Raimundo tem demonstrado, nos debates, a proximidade entre o PS e quem está à sua direita!

Como se sabe, os deputados dos Açores na República têm sido sempre repartidos entre o PS e o PSD. Assim, é legítima a questão: nos Açores, vale a pena votar na CDU? Ou fará mais sentido pensar no voto útil e num mal menor? A minha resposta é que vale mesmo a pena votar na CDU. Se os eleitores assim o decidirem, com o seu voto, é possível eleger, cá, deputados da CDU. Pensando apenas na cabeça de lista, a Judite será uma excelente deputada. Por outro lado, cada voto na CDU não será desperdiçado, porque dará mais força às bancadas do PCP e d’Os Verdes, na defesa de uma política verdadeiramente alternativa. Finalmente, os resultados de escolher o mal menor estão à vista! De mal menor, em mal menor, fomos ficando numa situação social insustentável.

É por isso que digo que o voto útil é na CDU: contribui para as soluções para uma vida melhor, para o combate à direita e para obrigar o PS a cumprir aquilo que promete!