Sporting de Braga e Desportivo de Chaves empataram hoje 1-1, na 19.ª jornada da I Liga de futebol, num jogo com um final emotivo e em que os minhotos não deram sequência à conquista da Taça da Liga.

Zalazar marcou primeiro para os bracarenses (52), mas Steven Vitória empatou aos 64, resultado que penaliza a falta de eficácia dos minhotos, que, apesar do jogo menos conseguido, estiveram muito mais perto da vitória.

O Sporting de Braga vê o trio da frente afastar-se, estando agora a sete pontos do terceiro classificado (FC Porto), a 11 do segundo (Benfica) e a 12 do líder (Sporting), pelo que o objetivo deverá passar agora por garantir o quarto lugar, seguro por um ponto em relação ao Vitória de Guimarães.

O Desportivo de Chaves igualou o Vizela com 13 pontos, deixando para os minhotos a 18.ª e última posição da tabela, e já não vence há sete jornadas.

Artur Jorge disse na véspera que queria seguir o exemplo dos bons momentos de Sporting, Benfica e FC Porto, mas fez uma exibição ‘cinzenta’, sem ideias sobretudo no primeiro tempo, diante do último classificado, talvez a pagar o jogo de sábado, que lhe deu a terceira Taça da Liga do seu historial.

Os bracarenses apresentaram-se com várias ausências (os castigados João Moutinho e Vítor Carvalho, os lesionados Marín e Bruma e, a representarem as respetivas seleções na CAN2023, Niakaté e Banza).

Artur Jorge refrescou ainda a defesa com Joe Mendes na direita e Serdar no eixo, além das titularidades já esperadas de Al Musrati e Pizzi.

Os flavienses mudaram apenas uma peça em relação ao último jogo (nulo caseiro diante do Rio Ave), com Guima a entrar para o lugar de Jô Batista.

Numa primeira parte muito fraca de parte a parte, sobretudo a do Sporting de Braga, com maior responsabilidade de atacar, houve registo apenas para uma ocasião clara de golo para cada equipa.

Álvaro Djaló fugiu pela direita e Ricardo Horta surgiu sem marcação na zona frontal, quase à entrada da pequena área, mas Hugo Souza tapou a baliza flaviense com uma grande defesa e impediu o golo do internacional português (22).

Já o Desportivo de Chaves, mais preocupado em fechar os caminhos da sua baliza, o que fez quase sempre bem neste período, contando também com o desacerto dos minhotos, quase marcou aos 33 minutos, no que teria sido um golo caricato porque foi Serdar a chutar contra Héctor Hernández – a bola não passou longe da barra.

O Sporting de Braga entrou com outra velocidade na segunda parte e, aos 52 minutos, chegou ao golo, com Zalazar a fazer a recarga a defesa de Hugo Sousa a um primeiro remate de Abel Ruiz, após assistência de Borja.

O Desportivo de Chaves tinha muitas dificuldades em chegar com perigo ao último terço bracarense, mas de bola parada conseguiu o empate, com Steven Vitória a cabecear ao segundo poste após canto da esquerda (64).

Pouco depois, Abel Ruiz falhou de forma clamorosa o cabeceamento – tocou com o ombro – e o segundo dos da casa (68).

Quatro minutos volvidos, foi Álvaro Djaló a ficar muito perto do golo, mas a bola foi tirada praticamente sobre a linha de baliza por um defesa dos flavienses.

Logo a seguir, Hugo Souza tirou o golo a Al Musrati (73).

Já depois de ter lançado Bruno Langa e Benny (58), Moreno apostou em Sanca e Paulo Vítor (74), com Artur Jorge a responder pouco depois com Rony Lopes (78) e com Victor Gómez e o reforço Cher Ndour (86).

Já em alguma quebra física, o Sporting de Braga tentou mais com o ‘coração’ do que com a ‘cabeça’, mas podia ter marcado: Álvaro Djaló teve duas boas situações aos 90+8 e 90+10 e Al Musrati aos 90+13.