O Porto das Poças, no concelho de Santa Cruz, na ilha das Flores, foi hoje afetado por uma derrocada, depois de a queda de um muro ter originado um deslizamento de terras, informou a Proteção Civil.

De acordo com um comunicado do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), o deslizamento de terras teve lugar “junto às casas de aprestos dos pescadores, não havendo vítimas a registar”.

O SRPCBA refere que a zona da derrocada se “encontra vedada e, de acordo com a avaliação preliminar por parte da Direção Regional das Obras Públicas, não houve necessidade de realojar os moradores das habitações que se encontram no cimo do talude”.

A direção regional informou, entretanto, o Laboratório Regional da Engenharia Civil da situação e efetuou contactos com vários empresários da ilha, caso se verifique, entretanto, a necessidade de alguma intervenção.

Entretanto, a empresa pública Lotaçor, responsável pelas lotas da região, refere, também em comunicado, que “foi contactada a Polícia Marítima de modo a tomar as diligências necessárias, nomeadamente o reforço da zona de interdição, bem como encetado contacto com o Laboratório Regional de Engenharia Civil de modo a realizar uma vistoria ao local”.

A Lotaçor salvaguarda que “a casa de apresto mais próxima da derrocada encontra-se desocupada, considerando as diligências levadas a cabo pela Lotaçor, no decurso no ano transato, com vista à efetivação da respetiva desocupação, tomando como prioridade a proteção de pessoas e bens, tendo o armador sido reacomodado noutra casa de apresto”.

No local da derrocada encontra-se a decorrer, desde dezembro de 2023, um procedimento de concurso público para a empreitada de reabilitação das casas de aprestos do Porto das Poças”.

A empreitada tem um preço base de 250.000 euros e prazo de execução de 150 dias, pretendendo-se “levar a cabo uma intervenção de reparação dessas casas de aprestos, aumentando a segurança dos trabalhos realizados no seu interior, nomeadamente a preparação das artes de pesca, criando também melhores condições de trabalho aos profissionais da pesca”.

Foi ainda lançado, na mesma altura, um concurso público para a empreitada de reforço da estrutura metálica da cobertura do edifício da Lota de Santa Cruz das Flores, o único local onde se realiza a primeira venda de pescado fresco,

O preço base deste concurso público é de 200.000 euros e tem um prazo de execução da empreitada de 150 dias.