O PS vai candidatar-se às eleições legislativas regionais antecipadas dos Açores, em fevereiro, com listas “renovadas” e com o objetivo de voltar a formar governo no arquipélago, disse hoje o líder dos socialistas no arquipélago, Vasco Cordeiro.

“Apresentamos listas absolutamente renovadas, com uma renovação que atinge 75%, com uma paridade que vai para além daquela que é determinada pela lei, mas que, sobretudo, correspondem a listas que mobilizam os açorianos neste momento extraordinário que vive a região”, justificou Vasco Cordeiro, líder do PS/Açores, após a entrega das listas de candidatos no Tribunal de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

Defendendo que os açorianos necessitam de um projeto “credível e estável” para os próximos quatro anos, Vasco Cordeiro considerou que só as listas do PS podem garantir essas premissas.

“Aquilo que os Açores precisam é de estabilidade e aquilo que a atual alegada solução de governo provou é que não consegue garantir estabilidade”, apontou o dirigente socialista, referindo-se à coligação PSD/CDS-PP/PPM, que liderou o Governo Regional nos últimos três anos, sucedendo aos executivo chefiados por Vasco Cordeiro entre 2012 e 2020.

Segundo o líder regional do PS, os açorianos vão ser chamados às urnas em 04 de fevereiro de 2024 apenas porque a atual solução do governo de direita “desbaratou, por completo” o quadro de apoio parlamentar que existia na Assembleia Legislativa Regional.

“O PS afirma-se como uma força de estabilidade, de segurança, de confiança e de esperança para os açorianos”, insistiu, salientando que é necessário “recuperar o impulso para o desenvolvimento da economia” regional e garantir uma melhoria progressiva de um conjunto de indicadores sociais, “que se perderam nestes últimos três anos”.

Vasco Cordeiro criticou também a “campanha do medo” que os partidos de direita estão a tentar promover nas ilhas, a propósito de uma alegada perda de direitos, caso o PS regresse ao poder na região.

“É preciso que fique claro, com um governo do PS ninguém perde aquilo a que tem direito”, garantiu Vasco Cordeiro, ressalvando, porém, que é preciso também que o executivo regional que sair das eleições pague “a tempo e horas” os apoios aos clubes desportivos, às instituições sociais e aos empresários.

Além de Vasco Cordeiro, cabeça de lista do PS pelo círculo eleitoral de São Miguel e pelo círculo regional de compensação, as listas do PS incluem ainda João Vasco Costa, como cabeça de lista por Santa Maria, Andreia Cardoso pela ilha Terceira, João Fernando Castro pelo Faial, Mário Tomé pelo Pico, Isabel Teixeira por São Jorge, José Ávila pela Graciosa, José Eduardo pelas Flores e Lubélio Mendonça pelo Corvo.

O mandatário das listas é Carlos César, antigo presidente do Governo dos Açores e atual presidente do PS nacional.

Os Açores vão a votos em 04 de fevereiro de 2024, após a dissolução da Assembleia Legislativa Regional pelo Presidente da República, devido ao chumbo do Orçamento para o próximo ano.

Para as eleições regionais açorianas já foram anunciadas as candidaturas de seis partidos – PS, Pessoas-Animais-Natureza (PAN), Chega, Bloco de Esquerda (BE), Juntos pelo Povo (JPP) e Iniciativa Liberal (IL) – e de duas coligações, PSD/CDS/PPM, que governou as ilhas nos últimos três anos, e da CDU (PCP/PEV).