O líder do PS/Açores considerou hoje que as eleições regionais antecipadas, marcadas para 04 de fevereiro de 2024, são decisivas para o futuro da região e o partido “está pronto” para regressar ao poder.

“Aquilo que está em causa nestas eleições é decisivo para o futuro da região”, disse hoje Vasco Cordeiro.

O líder do PS açoriano falava aos jornalistas, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, à margem de uma visita a um alojamento local, que serviu para se inteirar dos impactos da redução da atividade da companhia aérea Ryanair sobre o turismo e a mobilidade na região.

“[O que está em causa nas eleições] é, no fundo, se queremos manter uma situação cujas incapacidades, deficiências, estão à vista de todos, ou se queremos recuperar a confiança, recuperar um determinado ritmo de investimento público, de aproveitamento daqueles que são os recursos colocados à nossa disposição, desde logo em termos de fundos comunitários”, justificou.

E prosseguiu: “Mas, sobretudo, recuperar uma ideia de futuro da região, de sentido estratégico de futuro para a nossa região e para os açorianos”.

Vasco Cordeiro, que foi presidente do Governo Regional açoriano entre 2012 e 2020, referiu que o PS “está pronto” para reconquistar a presidência do executivo, que desde 2020 pertence à coligação PSD/CDS-PP/PPM.

Referiu ainda que o dia 04 de fevereiro “é uma boa data” para que o partido possa desenvolver a sua campanha eleitoral.

“Aquilo que, nesta circunstância, nos causa alguma surpresa, são as tentativas de reescrever a história. Surpreende-me muito quando quem até à entrada para a audiência com o senhor Presidente da República sempre insistiu que se deveria apresentar um segundo Orçamento, [e] agora pretenda aparecer aos olhos dos açorianos como o grande paladino da realização de eleições”, disse, referindo-se ao social-democrata José Manuel Bolieiro.

Lembrou ainda que a situação se fruto da instabilidade política que foi criada pelo Governo Regional e pelos partidos de coligação que o suportam e que “desembocou” na “incapacidade que o Governo [Regional] tem demonstrado de assumir um projeto mobilizador e motivador de futuro”.

O PS de São Miguel anunciou hoje em comunicado que aprovou, por unanimidade, a proposta de critérios para a composição da lista de candidatos às eleições regionais, que será liderada por Vasco Cordeiro.

O Presidente da República anunciou na segunda-feira a dissolução da Assembleia Legislativa dos Açores e marcou eleições regionais antecipadas para 04 de fevereiro, decisão que obteve parecer favorável de Conselho de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa fez este anúncio através de uma nota no sítio oficial da Presidência da República na Internet, na qual se lê que o Conselho de Estado “deu parecer favorável, por unanimidade dos votantes” à dissolução, “não se tendo, apenas, o Governo da República pronunciado por ser matéria autonómica”.

“O Presidente da República marcou as eleições para o dia 04 de fevereiro de 2024, tendo assinado o respetivo decreto, imediatamente referendado pelo primeiro-ministro”, acrescenta-se na mesma nota, de dois parágrafos.

Antes, em 30 de novembro, o Presidente da República ouviu os partidos representados no parlamento açoriano, na sequência do chumbo do orçamento regional para 2024.

As eleições regionais nos Açores irão realizar-se cinco semanas antes das legislativas antecipadas anunciadas para 10 de março do próximo ano.

O executivo chefiado por José Manuel Bolieiro deixou de ter apoio parlamentar maioritário desde que um dos dois deputados eleitos pelo Chega se tornou independente e o deputado da Iniciativa Liberal rompeu com o respetivo acordo de incidência parlamentar, em março deste ano.

O Governo de coligação PSD/CDS-PP/PPM manteve um acordo de incidência parlamentar com o agora deputado único do Chega no parlamento açoriano.