O Governo dos Açores vai investir num novo túnel até à freguesia da Ribeira Quente, na ilha de São Miguel, orçado em cerca de 20 milhões de euros, anunciou hoje o presidente do executivo, José Manuel Bolieiro.

Bolieiro, que inaugurou hoje o semi-túnel de ligação à Ribeira Quente, no concelho da Povoação, referiu que, no primeiro semestre de 2024, vai avançar o concurso público e será encontrada uma “solução pensada para populações e instituições” para a criação de um túnel até à entrada da freguesia.

O presidente do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), citado em nota de imprensa, referiu que “é esse o compromisso e visão prospetiva que se lança em nome do Governo”, tendo estimado um valor até 20 milhões de euros para a construção do novo túnel.

Em junho, a única estrada de acesso à Ribeira Quente, na ilha de São Miguel, esteve cortada ao trânsito cerca de 15 horas, devido a uma derrocada, obrigando 50 pessoas a pernoitar num centro social, na sequência da passagem da depressão Óscar.

Bolieiro afirmou que o semi-túnel hoje inaugurado, orçado em cerca de seis milhões de euros, é uma “verdadeira obra de arte da engenharia, uma empreitada complexa e que permite garantir maior segurança, ao mesmo tempo que se mantém visível a beleza distintiva da natureza do local”.

“Estamos a procurar compatibilizar a fruição da natureza com o cuidar preventivamente dos riscos para a segurança humana na passagem por ela”, declarou o governante, que adiantou tratar-se de uma obra de “valorização do território geradora de confiança, nomeadamente para a população da Ribeira Quente”.

Entretanto, o secretário coordenador do PS São Miguel, André Rodrigues, citado em nota de imprensa, manifestou hoje satisfação com a conclusão da obra do semi-túnel, considerando que “esta foi uma obra projetada e lançada pelo Governo Regional da responsabilidade do PS”.

O socialista lamentou, por outro lado, que durante a inauguração do semi-túnel da Ribeira Quente José Manuel Bolieiro “tenha esquecido a tão apregoada cautela e ética democrática quanto à concretização de investimentos futuros”.

O dirigente refere que “não é aceitável que, na mesma semana, se suspenda o processo de privatização da Azores Airlines e de dois hotéis”, justificando essa decisão como sendo “a forma mais responsável de decidir face ao atual contexto político da região”, e hoje, “em pleno clima de pré-campanha eleitoral, tenha sido anunciado um túnel para a estrada de acesso à Ribeira Quente, para ligar ao semi-túnel, no valor de 15 a 20 milhões de euros”.

A criação de um caminho alternativo à freguesia da Ribeira Quente, no concelho da Povoação, é uma reivindicação desde 1997, altura em que uma derrocada causou a morte a 29 pessoas naquela que é considerada pelos especialistas como uma das zonas mais vulneráveis a fenómenos de vertente.