Padre Cassiano foi hoje homenageado em Vila Franca do Campo, com o descerramento do seu Busto, numa Cerimónia que foi presidida pelo Padre Silvino e contou com a participação do Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, Ricardo Rodrigues, representantes da Câmara e da Assembleia Municipal, dos Presidentes da Junta de Freguesia de São Pedro de VFC, e das Furnas, Comissão Promotora do Busto do Padre Cassiano, da Família, do escultor do Busto, José Carlos Almeida e de muitos populares de Vila Franca do Campo que fizeram questão de estar presentes nesta Homenagem.

Padre Cassiano era Natural do Vale das Furnas. Foi Diretor do Jornal A Crença, jornal católico, propriedade da Diocese de Angra, que foi fundado em 1915 em Vila Franca do Campo pelos padres Ernesto Ferreira e João Bulhões.

Gualter Furtado, foi um dos oradores neste evento, cuja a sua intervenção abaixo, transcrevemos na integra.

Padre Cassiano – Um Padre de Relação de Proximidade

Natural do Vale das Furnas o Padre Cassiano, como era conhecido, trabalhou e esteve ao serviço de várias comunidades nas ilhas Terceira, São Jorge e em São Miguel, designadamente no Concelho de Vila Franca do Campo, tendo exercido a sua última missão como Padre em São Pedro da primeira capital da ilha do Arcanjo São Miguel. A par do seu exercício de pároco o Padre Cassiano dedicou uma parte importante da sua vida ao jornal A Crença, uma voz da Igreja, com a marca da independência, da liberdade, do pluralismo, do envolvimento com a sociedade civil e de promoção dos valores da solidariedade e da fé católica. Enquanto o Padre Cassiano foi Diretor do Jornal A Crença foi possível envolver nas páginas deste Órgão de Comunicação Social vários colaboradores saídos das fileiras da Igreja, mas também da sociedade civil, com uma linha editorial de forte relação de proximidade e de pendor social, o que de algum modo foi uma das principais características que marcou a existência e a prática do Padre Cassiano junto do seu Povo. Falei com alguns vila-franquenses quando estava a preparar esta intervenção, e ouvi da boca e do coração deles frases como esta: “O Padre Cassiano, é que nos casou, batizou os nossos filhos e fez o funeral dos nossos Pais, e quando era preciso estava sempre presente”.

A sua vida extravasou os muros da igreja imóvel, e estendeu-se à relação com o seu Povo, tendo sido inclusivamente dirigente sindical, a par de ter sido assistente na Juventude Operária Católica, podemos assim afirmar que o Padre Cassiano foi também um Padre dos Assuntos Sociais, e que por opção o colocava sempre junto dos mais frágeis.

O Padre Cassiano foi um Homem de Deus, um sacerdote comprometido com o seu Povo, um Bom Pároco, e um ativo, diligente e discreto Diretor do Jornal A Crença (jornal católico, propriedade da Diocese de Angra, fundado em 1915 em Vila Franca do Campo pelos padres Ernesto Ferreira e João Bulhões).

O Padre Cassiano nasceu no Vale das Furnas, que teve como primeiro Vigário da nossa Igreja de Sant`Ana o Padre José Jacinto Botelho em 1906, e que viria a falecer nas Furnas em 1946. O Padre Botelho era natural da Ponta Garça, foi o primeiro Vigário das Furnas, um Padre humilde, mas notável no seu tempo, sendo referenciado como um Pregador de exceção, um Romeiro que percorria os caminhos da Ilha de São Miguel descalço, um Poeta, um homem culto, tendo inclusivamente pertencido ao Grupo de fundadores do Instituto Cultural de Ponta Delgada, juntamente com o seu amigo Vilafranquense Armando Côrtes-Rodrigues, e um dos maiores escritores e romancistas dos Açores.

Em 1938 o Padre Afonso Quental, natural da Maia, vem para as Furnas auxiliar o Padre Botelho e tendo-o substituído como Pároco aquando do seu falecimento. Ao Padre Afonso se deve em primeiro lugar e com grande destaque a conclusão da construção da Igreja de Nossa Senhora da Alegria do Vale das Furnas, a nossa Igreja Nova (levou 62 anos para ser inaugurada e depois do lançamento da primeira pedra), e entre outros serviços à comunidade a ele também se deve uma forte contribuição para mobilizar famílias e jovens a ingressar no Seminário. Certamente, que a herança do Padre Botelho e a então presença do Padre Afonso, aliadas a uma Família de gente muito Boa das Furnas, tiveram um peso grande na opção de o Padre Cassiano ter rumado ao Seminário de Angra e inclusivamente terem ajudado a formar o seu carácter. Acresce que os seus colegas de Seminário, incluindo os mais velhos e os mais novos, de onde saíram Padres e Cidadãos de excelência, com provas reconhecidas na divulgação do cristianismo, na luta pelos mais desfavorecidos, mas também na cultura, e no ensino, incluindo o ensino Universitário, naturalmente estes colegas também tiveram de algum modo influência na sua ação pastoral e cívica.

Padres como o Padre Cassiano merecem e é mesmo um dever não deixar morrer a sua passagem pelas nossas comunidades, divulgando pelos mais novos a sua obra e os valores que os caracterizaram, por isso, esta iniciativa da Comissão Promotora do Busto do Padre António Cassiano e a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo dão um importante contributo para que o Padre e o Homem continue junto de nós e seja um incentivo para o conhecimento de quem foi e o que fez o Padre Cassiano, como Furnense só tenho a agradecer por este gesto de grande sentido de responsabilidade da sociedade civil e prontamente apoiado pela sua Câmara Municipal.

Através do Padre Cassiano as Furnas vieram agradecer ao Concelho de Vila Franca do Campo a ida do Padre Botelho para o nosso Vale Formoso. Obrigado a ambos e muito Obrigado à Comissão Promotora desta iniciativa e à Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, tenho a certeza que o Padre Cassiano como Homem Humilde que era, iria se questionar profundamente sobre esta Homenagem, mas também iria reconhecer que ela foi concretizada em nome de uma Causa Justa.