Sporting de Braga e Union Berlim empataram, hoje, 1-1, na quinta jornada do Grupo C da Liga dos Campeões de futebol, o que mantém os minhotos, que jogaram com 10 durante uma hora, na corrida pelos ‘oitavos’.

Gosens abriu o marcador a fechar a primeira parte (42 minutos), já quando o Sporting de Braga jogava com menos uma unidade, por expulsão de Niakaté (31), mas Álvaro Djaló empatou no início da segunda (51), estabelecendo o resultado final.

Com este resultado, e com o triunfo do Real Madrid sobre o Nápoles (4-2), o Sporting de Braga ainda pode sonhar com os ‘oitavos’ da Liga dos Campeões, precisando para isso de vencer em Itália, na última jornada.

Tendo em conta a circunstância de ter jogado mais de uma hora com menos um jogador, o Sporting de Braga fez um grande jogo e, na segunda parte, foi muito superior aos alemães e podia mesmo ter saído vencedor.

No Sporting de Braga, Artur Jorge não pôde contar com Bruma e Al Musrati devido a lesão, que já os tinha afastado do jogo da Taça de Portugal em Portimão (vitória por 4-1, no sábado), tendo o técnico apostado em Vítor Carvalho no meio-campo, fazendo um trio com João Moutinho e Zalazar.

Em relação ao último ‘onze’, o técnico fez ainda voltar Matheus à baliza, Borja à lateral esquerda e Banza à frente de ataque.

O Union Berlim chegava a Braga com uma série negativa de 15 jogos consecutivos sem vencer (agora são 16) e com um novo treinador – em estreia absoluta no comando técnico dos alemães, Nenad Bjelica também fez quatro alterações em relação à última equipa titular.

Numa primeira parte que só aqueceu nos últimos minutos, o Sporting de Braga esteve por cima enquanto ambas as equipas tiveram 11 jogadores.

Aos 16 minutos, Borja serviu Ricardo Horta, que, com um toque subtil, tirou um adversário do caminho e assistiu Banza, mas o guardião Ronnow impediu o golo ao avançado francês.

Depois, foi Álvaro Djaló a desperdiçar uma excelente oportunidade, cabeceando no meio dos centrais, após cruzamento de Victor Gómez do lado direito (28).

O Sporting de Braga ficou a jogar com menos um jogador pouco depois (31), quando o árbitro, alertado pelo VAR, reverteu para cartão vermelho um primeiro cartão amarelo a Niakaté.

Artur Jorge refez o eixo defensivo com Serdar (saiu Vítor Carvalho, 36), mas o Union Berlim chegaria ao golo pelo internacional alemão Gosens, concluindo uma jogada pelo lado esquerdo – assistência de Roussillon -, após perda de bola de Álvaro Djaló e mau posicionamento de Victor Gómez (42).

Mesmo em inferioridade numérica, os minhotos reagiram e, pouco antes do intervalo, quase empataram na sequência de um canto, primeiro por José Fonte e depois por Álvaro Djaló, tendo valido primeiro o guarda-redes e, depois, um defesa sobre a linha (45+1).

Cedo na segunda parte, a equipa bracarense aproveitou um erro defensivo do Union Berlim para empatar: Ricardo Horta intercetou um passe de Juranovic e serviu de imediato Álvardo Djaló, que, depois de entrar na área, ‘fuzilou’ o guardião contrário (51), fazendo o seu 12.º golo da temporada, em todas as competições.

A equipa que parecia ter mais um jogador era o Sporting de Braga tal era a avalanche ofensiva: o extremo espanhol podia ter ‘bisado’ aos 59 minutos e, no minuto seguinte, Ricardo Horta ‘tirou tinta’ ao poste num remate cruzado já dentro da área.

O Union Berlim parecia em quebra física e o Sporting de Braga deu sempre a sensação de estar mais perto do segundo golo do que os alemães.

Já depois de Abel Ruiz (68), Artur Jorge lançou Joe Mendes, André Horta e Roger de uma assentada (82), mas a equipa passou a privilegiar manter a igualdade do que expor-se demasiado e permitir ocasiões ao adversário, ainda que tenha apanhado dois ‘sustos’ já perto do fim (84 e 89, por Fofana).