As Festas do Espírito Santo em Ponta Delgada, são um evento tradicional e religioso que ocorre na cidade, e nas freguesias na ilha de São Miguel.

Essas festividades são uma das maiores celebrações religiosas e culturais dos Açores, e a cidade de Ponta Delgada é conhecida por sediar algumas das mais grandiosas festas do Espírito Santo do arquipélago.

Um pouco de História

As Festas do Espírito Santo são realizadas em honra do Divino Espírito Santo, uma das principais devoções religiosas nos Açores.

O evento tem suas raízes nas tradições do período do povoamento açoriano e remonta ao século XVI. As festas geralmente ocorrem entre maio e junho, embora as datas exatas possam variar de acordo com o calendário religioso móvel.

Os símbolos mais importantes do Império do Divino Espírito Santo, assumindo o lugar central em todo o culto.

A coroa

A coroa é uma coroa imperial, em prata, normalmente com três braços, encimada por um orbe em prata dourada sobre o qual assenta uma pomba de asas estiradas.

O tamanho da coroa varia, e em geral cada irmandade dispõe de uma coroa grande e duas mais pequenas. Cada coroa é completada com um ceptro em prata, encimado por uma pomba de asas estiradas.

A coroa é decorada com um laço de fita de seda branca, o mesmo acontecendo com o ceptro. Por vezes os braços da coroa são decorados com pequenos botões de flor de laranjeira em tecido branco.

A coroa é colocada sobre uma bandeja de pé alto, também em prata. Simboliza o império do Divino Espírito Santo e o seu poder universal. Para além de servir para coroar, é considerada uma honra, conferida pelo imperador, transportar a coroa e segurar a respetiva bandeja.

Durante o ano as coroas circulam semanalmente entre as casas dos irmãos, que as colocam em lugar de honra, rezando e louvando o Divino, todas as noites, perante elas. As coroas são também transportadas pelos mordomos quando realizam peditórios.

Hino do Espírito Santo

O Hino do Espírito Santo, foi composto em finais do século XIX para ser tocado pelas bandas e ser cantado durante as coroações, é o mais reverenciado de todos os hinos, sendo sempre escutado nos Açores com grande emoção e respeito. Alguns dos acordes estão patentes no Hino dos Açores.

Foto e Texto: José Araújo

Bandeira

A bandeira é confecionada em damasco vermelho vivo, normalmente de dupla face, de forma quadrangular, com 5 palmos de lado (embora existam bandeiras maiores e menores), sobre o centro da qual é bordada em relevo uma pomba branca da qual irradiam para baixo raios de luz em branco e fio de prata.

A bandeira é colocada numa haste em madeira com cerca de dois metros de comprido, encimada por uma pomba em prata ou latão. A bandeira acompanha a coroa e está sempre presente nas cerimónias litúrgicas onde se coroe.

Diz a tradição que uma bandeira menor é içada junto à casa do imperador durante a permanência das coroas. Junto aos impérios é hábito existir um grande mastro no qual é içada durante as cerimónias uma grande bandeira de tecido branco onde estão pintadas cenas alusivas ao culto. É considerada uma honra ser escolhido para levar a bandeira nos cortejos.

Os foliões

Os foliões são pequenos grupos de até 5 pessoas, chamados os Foliões do Divino, que, com as suas cantigas, acompanhadas por tamborete e címbalos, participam da preparação das Festas do Divino, visitando as casas dos irmãos, cantando os feitos e os poderes do Divino Espírito Santo, recolhendo donativos e marcando os rituais da distribuição do bodo ou da função. Na ilha de Santa Maria e no lugar da Beirailha de São Jorge, sobrevivem rituais extremamente complexos, autêntica liturgia do culto do Espírito Santo, que já desapareceram nas outras ilhas.

Os Impérios do Espírito Santo na Freguesia de Santa Clara

A freguesia de Santa Clara não foge à regra e no presente ano realizou três Impérios, o da Trindade, Caridade e de São João. No domingo antes o mordomo reúne amigos e realiza a mudança da bandeira e a coroa do Espírito Santo para a sua casa, com abertura do quarto com música de uma folia.

A meio da semana fez-se a abertura do bazar e de uma barraca para venda de bebidas e petiscos, cuja receita é para ajudar nas despesas da festa. Nesta semana da festa o mordomo organiza para “o povo” uma carne guisada, uma sardinhada, porco no espeto ou bifana no pão, em honra do Divino Espírito Santo.

Nesta semana da festa do Império o Mordomo também oferece a todos os presentes música popular que é cantada por artistas locais, para animar o arraial de cada noite.

Na 6ª feira e logo pela manhã tem início a distribuição das pensões pelos irmãos do Império. A pensão é constituída por uma porção de carne de vaca (de gado especialmente abatido para o efeito), por um pão de cabeça (ou pão do bodo), e por vinho de cheiro, atualmente por vinho tinto.

É distribuída aos irmãos que as pretenderem e às famílias mais necessitadas com distribuição personalizada, numa viatura ornamentada, sempre com a presença da Bandeira do Divino Espírito Santo.

No domingo logo pela manhã há a coroação na igreja, que é feita após o termo da missa e consiste na colocação, pelo sacerdote, da coroa na cabeça do imperador ou das pessoas que ele designar, e na imposição do ceptro, que depois de beijada a pomba que o encima, é empunhado pelos coroados. Os fiéis assistem de pé à coroação, sendo cantado o Hino.

Depois da coroação, e já mais tarde a organização da coroação que sai em cortejo pelas ruas da irmandade. Nesta coroação participam muitos dos irmãos do Império, levando as bandeiras e Coroa do Espírito Santo do Império, conjuntamente com o Mordomo, acompanhado pro uma folia do Espírito Santo, neste caso pelos“Amigos da Caridade de Rabo de Peixe”

Depois da coroação e já no fim da tarde há a distribuição das “Sopas do Espírito Santo” que é uma refeição tradicional. A refeição consiste de “sopa do Espírito Santo” (pão seco que depois é recoberto com água de cozer carne, temperada com hortelã e outros condimentos), o cozido de carne, pão de água, a massa sovada (um pão de massa doce e rico em ovos) e arroz doce polvilhado com canela.,que é oferecida gratuitamente a todos os presentes como um ato de caridade.

No final da noite, é escolhido  o Mordomo do Divino Espírito Santo, para o próximo ano,que é tirado à sorte entre os presentes que se candidataram e ainda é feito sorteio das domingas.

As XX Grandes Festas do Espírito Santo de Ponta Delgada, uma organização da Câmara Municipal de Ponta Delgada,realizam-se na primeira quinzena de julho, e encerram este período festivo, com distribuição de sopas, no Campo de São Francisco,cortejo etnográfico na Avenida Marginal e a grande coroação pelas principais ruas da baixa, onde se inclui todos os mordomos do concelho.

As XX Grandes Festas do Espírito Santo 2023, em Ponta Delgada, têm lugar de 5 a 9 de julho, mantendo a sua vertente religiosa e turística.

Essas festividades atraem tanto os habitantes locais quanto turistas, ao Campo de São Francisco e na Avenida Infante Don Henrique, tornando-se uma oportunidade para vivenciar a rica cultura e tradições açorianas.

Referências – http://www.portaldodivino.com/India/india.htm