A IL/Açores criticou hoje o Governo Regional devido ao serviço de ‘shuttle’ no acesso à Lagoa do Fogo, em São Miguel, alertando que a implementação “correu mal” e que existem falhas na “fiscalização, comunicação e planeamento”.

“Percebemos claramente que é uma boa ideia da IL. A implementação correu mal. Não basta ter boas ideias. Temos um Governo Regional que continua a insistir em aplicar as boas ideias de uma forma menos correta”, afirmou o dirigente da IL na região, Luís Miguel Quental.

O liberal falava aos jornalistas no miradouro da Bela Vista, um dos pontos de paragem do ‘shuttle’ de acesso àquela Reserva Natural que foi implementado há uma semana, altura em que também foi vedado o acesso por viaturas de ‘rent-a-car’.

A medida foi tomada após ter sido aprovado, em janeiro, um projeto de resolução da IL no parlamento açoriano.

Luís Miguel Quental alertou que as placas informativas ao longo da estrada estão “apenas em português” e que a “comunicação é deficitária”, uma vez que os turistas não têm conhecimento das mudanças no acesso à Lagoa do Fogo.

“Notamos uma série de problemas ao nível da fiscalização, da comunicação e do planeamento. Na fiscalização, quem fez o percurso reparou que não existe nenhum agente de autoridade”, declarou, sugerindo a criação de folhetos para distribuir pelos visitantes.

O dirigente da IL realçou que o Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) não cumpriu com vários pontos resolutivos da proposta do partido que foi aprovada na Assembleia Legislativa e avisou que o estacionamento da Caldeira Velha, onde se inicia o percurso, está “sobrecarregado de carros”.

“A norma, como foi aplicada pelo Governo Regional, só proíbe o acesso aos ‘rent-a-car’ até ao miradouro da Lagoa do Fogo. No nosso projeto resolutivo, o percurso para iniciar este percurso seria na Central Geotérmica do Pico Vermelho, onde existe mais espaço”, salientou.

Quental reconheceu que o sistema que está implementado no acesso à Lagoa do Fogo traz uma “publicidade à região que não é a mais desejável” e apelou ao executivo açoriano para rever o processo.

“Alertamos o Governo Regional para que reveja este processo. Vamos dar tempo ao tempo para que se corrija a situação. Daqui a um mês voltaremos aqui para ver como está o serviço e aí tomaremos outras medidas mais incisivas para que o Governo Regional cumpra com o projeto resolutivo”, assinalou.

O ‘shuttle’ é gratuito para os residentes e tem um custo de cinco euros para não residentes.

Este serviço de transporte, prestado pela empresa Atlanticoenergy, sai da Caldeira Velha, no concelho da Ribeira Grande, e termina na Casa da Água, na Lagoa, fazendo depois o percurso inverso.

O transporte funciona em regime ‘hop on hop off’ e cobre cerca de 14 quilómetros, passando por seis pontos de atração turísticas, das 09:00 às 19:00, todos os dias da semana, incluindo feriados nacionais, regionais ou municipais, até 30 de setembro.