Miguel Bandarra, aos 37 minutos, foi o autor do tento solitário que permitiu à formação lisboeta vencer a partida diante dos seus adeptos.

O Casa Pia esteve sempre por cima no encontro, e os primeiros minutos começaram a demonstrar isso mesmo, com o jogo a desenrolar-se perto da área do Praiense, que se apresentava na expectativa, em busca de erros para avançar no terreno.

O conjunto açoriano pouco incomodava a baliza de Rafael Marques, mas chegou com perigo, aos 20 minutos, num remate forte de Danny Esteves que o guardião conseguiu afastar para canto.

O Casa Pia acabou por chegar à vantagem, num livre direto apontado por Miguel Bandarra de levantar as bancadas, com a bola a fazer um efeito tremendo que surpreendeu o guardião Tiago Maia.

No segundo tempo, e depois de anular uma entrada forte da turma de Francisco Agatão, o Casa Pia esteve perto de apontar o segundo golo, mas Tiago Maia mostrou-se atento ao defender um remate potente, do meio da rua, de David Rosa.

O Praiense, aos poucos, aproximou-se com mais regularidade do último terço do terreno e, com as entradas em campo de Kiko, Fonseca e Buba, foi melhorando, embora apresentasse sempre algumas fragilidades na hora de rematar à baliza.

Até ao fim, o Casa Pia pouco fez para tentar aumentar a vantagem que lhe daria um maior conforto no jogo da segunda mão, mas aguentou a margem mínima ao afastar, como podia, a bola da sua área, apesar da insistência do Praiense nos últimos minutos de jogo.

A segunda mão disputa-se a 16 de junho, às 17:00, desta feita no Estádio Municipal da Praia da Vitória, na Terceira, Açores, e o vencedor da eliminatória assegura a presença na II Liga, na próxima temporada.