PUB

Os associados da Visit Azores, anterior Associação de Turismo dos Açores (ATA), aprovaram hoje, por unanimidade, a readmissão do Governo Regional e da companhia aérea SATA como associados.

“Tínhamos uma carta para a readmissão da SATA, enquanto associado fundador, e tínhamos uma carta do governo a demonstrar a intenção da sua readmissão, onde tinha cinco pontos, que foram votados por unanimidade pelos associados da Visit Azores”, adiantou, em declarações à Lusa, o presidente da associação, Carlos Morais.

Os associados da Visit Azores, responsável pela promoção turística dos Açores, reuniram-se hoje em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, numa assembleia-geral que tinha como ponto único da ordem de trabalhos a readmissão de associados fundadores.

PUB

A decisão de readmitir o Governo Regional e a SATA foi unânime, com 56 votos a favor.

O executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) impôs como condições para reintegrar a associação a revisão dos estatutos, a redução dos custos de estrutura, a indicação de membros para o conselho de administração e a realização de uma auditoria às contas da Vizit Azores.

Carlos Morais disse que “os associados concordaram”, alegando que todos os pontos “são pacíficos”.

O presidente da Vizit Azores lembrou que a atual direção, eleita para o período entre 2019 e 2022, já tinha reduzido os custos de estrutura da associação.

“Os custos de estrutura em 2018, no ano antes da nossa entrada, eram de 1.546.000 euros e os nossos custos de estrutura em 2022 foram 1.199.000 euros. Há uma redução de 346 mil euros durante o nosso mandato. Nos gastos com pessoal, também fizemos uma redução de cerca de 100 mil euros”, salientou.

“O governo se achar que tem de fazer mais, fará. Nós não nos opusemos. Todos os pontos foram aprovados por unanimidade”, acrescentou.

Quanto à exigência de realização de uma auditoria às contas da associação, Carlos Morais também não se opôs, mas recordou que foi feita uma auditoria ao período de março de 2019 a março de 2022.

O executivo açoriano deverá indicar o presidente e dois membros do novo conselho de administração da associação, composto por cinco pessoas, e poderá também nomear o diretor executivo.

Os outros dois pontos, dos cinco que constavam na carta, referem-se à alteração dos estatutos.

Estão já marcadas duas assembleias-gerais da Vizit Azores para 24 de fevereiro, a primeira para aprovar as contas de 2022 e o plano e orçamento para 2023 e a segunda para eleger os novos órgãos sociais.

Os atuais dirigentes apresentaram demissão coletiva em 10 de janeiro, mas vão assegurar o funcionamento da associação até ao próximo ato eleitoral.

O anterior Governo Regional (PS) aprovou em junho de 2018 uma resolução a autorizar o processo de desvinculação da Região Autónoma dos Açores da condição de associada da ATA, o que se concretizou em dezembro.

Em outubro desse ano, o então presidente do executivo, Vasco Cordeiro, afirmou querer um esclarecimento “total” em relação às suspeitas de corrupção na Associação de Turismo dos Açores, investigadas pelo Ministério Público.

Em fevereiro de 2019, a Polícia Judiciária anunciou a realização de buscas por suspeitas de “fraude para a obtenção de subsídio, peculato, falsificação de documentos e participação económica em negócio” na ATA, tendo sido constituídas arguidas cinco pessoas.

Pub