“Violas do Atlântico VIII” recebe Viola Caipira do Brasil

 

A Associação de Juventude Viola da Terra prepara mais uma edição do “Violas do Atlântico” recebendo, desta vez, a Viola Caipira do Brasil.

A oitava edição deste Festival contará com a presença do músico Chico Lobo, de Belo Horizonte, que traz a sua Viola de Arame do Brasil, conhecida como Viola Caipira. Juntar-se-á a Rafael Carvalho, com a sua Viola da Terra, e farão dois concertos: 26 de Junho, 21:00, no Centro Social e Paroquial da Ribeira Quente e 27 de Junho, 21:00, no Salão Nobre do Teatro Micaelense.

Os eventos são de entrada livre e limitados à lotação de cada espaço.

O “Violas do Atlântico” tem trazido aos Açores músicos que tocam, divulgam e promovem o ensino da Viola de Arame em Portugal e não só, pretendendo valorizar as nossas Violas e criar espaços de diálogo, aproximação e troca de experiências.

Estes eventos têm sempre uma componente de proximidade com os públicos, pois cada músico apresenta a sua Viola a solo, fala da sua história, contextos e práticas musicais, mas, depois, promove a fusão das diferentes realidades musicais com os tocadores a executarem várias peças em conjunto, comprovando a versatilidade dos instrumentos.

A Viola Caipira do Brasil descende das várias Violas de Arame Portuguesas mas ganha a sua própria mística, estando rodeada de crenças e histórias que o Violeiro Chico Lobo irá referir nos 2 concertos. O músico tem ainda um programa semanal de Rádio e de TV, em Belo Horizonte, onde promove a Viola.

A presença da Viola Caipira nesta edição de 2018 é ainda mais especial uma vez que a Viola foi reconhecida como Património Imaterial de Minas gerais a 14 de Junho de 2018. Todos estes passos, Encontros de Violas e, também, o contributo deste Encontro nos Açores, são importantes para a viabilização de uma candidatura conjunta – Portugal / Brasil – da Viola a Património Imaterial da Unesco.