Vila Franca do Campo representada em Espanha no Congresso Ibérico de Heráldica

O município de Vila Franca do Campo esteve representado no XI Seminário Ibérico de Heráldica e Ciências da História, um encontro anual, onde se promove a discussão dos mais recentes estudos nas áreas das ciências históricas, como a Heráldica e a Genealogia e que decorreu no passado fim-de-semana na cidade de Jódar, em Espanha.

Promovida pela Academia Internacional de Heráldica, com o apoio da Sociedade de Geografia de Lisboa. a edição deste ano contou com cerca de vinte conferencistas europeus.

Dos três portugueses convidados a intervir como oradores, dois versaram temáticas relacionadas com a heráldica municipal açoriana, nomeadamente de Vila Franca do Campo, a cargo de Diogo Teixeira Dias, e Angra do Heroísmo, com José Colaço.

Diogo Teixeira Dias, historiador, e arqueólogo da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, apresentou o antigo sinete municipal e bandeira da edilidade vila-franquense, discorrendo sobre a evolução histórica dos símbolos heráldicos do primeiro concelho da ilha de S. Miguel.

Este investigador explicou, ainda, como o referido artefacto permitiu à edilidade Vila-franquense manter a sua identidade iconográfica, apesar da invulgaridade, reiteradamente contestada pelas autoridades na matéria.

Com um parecer justificativo em 1950, como contra-argumento perante as entidades competentes, os autarcas de Vila Franca do Campo da época conseguiram que o atual brasão em uso se mantivesse inalterado, não obstante da oposição de Lisboa.

Como afirmou o investigador, “o brasão da Vila é singular, no conjunto de brasões autárquicos açorianos, e foi o único que conseguiu manter inalterados os seus elementos de origem histórica, mas com dificuldades. Sempre houve tentativas da capital de padronizar as várias identidades iconográficas do arquipélago, porventura não compreendendo que cada ilha, e mesmo cada concelho, tem as suas características distintivas, embora integrados num conjunto”.

Alguns dos representantes das entidades presentes no Seminário de Heráldica degustaram as queijadas do Morgado, cujo embrulho se decora com o brasão de Vila Franca do Campo, apresentado numa das comunicações.