Vila Franca do Campo presente esta sexta-feira no 3º Seminário Anual da Rede de Município para a Adaptação Local às Alterações Climáticas

A Autarquia de Vila Franca do Campo será representada pela Vereadora com o pelo do Ambiente, Nélia Alves-Guimarães, no seminário anual da Rede de Município para a Adaptação Local às Alterações Climáticas (Adapt.Local) que irá decorrer esta sexta-feira, 15 de novembro, em Seia, no distrito da Guarda.

Este será o 3º seminário anual do género, depois de Loulé e Figueira da Foz terem recebido o evento em 2017 e 2018, respetivamente.

Dos trabalhos do seminário vão constar apresentações de Efrén Feliu Torres, da Tecnalia, e Marta Olazabal, do bc3 (Basque Centre for Climate) Change) ambos de Espanha, a abordarem as temáticas “Soluções naturais na adaptação climática” e “Fatores de sucesso da adaptação climática”.

Depois, Filipa Aves, da ZERO, Associação Sistema Terrestre Sustentável; Pedro Macedo, da ECOLISE – “Municipalities in Transition: From climate emergency to navigating transformation” e Joana Viveiro, do Movimento de Cidadãos por uma Estrela Viva, falarão sobre “O papel da Sociedade Civil na Adaptação Local às Alterações Climáticas”.

Para além disso, haverá lugar a workshops de Capacitação Técnica a cerca dos temas; “Cheias e inundações”; “Ecossistemas ribeirinhos”; Cidades Resilientes e ondas de calor”; “Serviços climáticos para o planeamento territorial” e, ainda, “Espaços verdes de amenização climática”

A finalizar, será feita uma abordagem aos Novos Desafios do Desenvolvimento Local e a Adaptação às Alterações Climáticas.

Recorde-se que Vila Franca do Campo integra a Rede desde a sua génese, sendo o único Concelho açoriano, entre os mais de 30 integrantes atuais.

O Município recebeu, em março do corrente ano, a 5ª reunião do Conselho Geral da Rede de Municípios para a Adaptação Local às Alterações Climáticas, bem como o Seminário Regional de Adaptação às Alterações Climáticas.

Na ocasião, os membros presentes, entre Presidentes dos Municípios que integram a Rede e técnicos municipais, fizeram o balanço da atividade de 2018, analisaram a possibilidade da Rede de Municípios se constituir como entidade com personalidade jurídica e a admissão de novos membros, entre outros assuntos.