Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

Na segunda quinzena do mês de julho, a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, mais concretamente o Gabinete de Ação Social, à luz do projeto de Promoção da Literacia em Saúde Mental, celebra o Dia Mundial dos Avós, abordando a temática do “Envelhecimento Ativo”.

O processo de envelhecimento é natural e universal e atinge todos nós. Assim, o envelhecimento deve interessar a todos nós (e não apenas aos cidadãos seniores), pois todos passamos por esse processo e seremos cidadãos seniores um dia.

Para a Organização Mundial da Saúde o Envelhecimento Ativo é visto como um processo de otimização das oportunidades para a saúde, participação e segurança, para melhorar a qualidade de vida das pessoas que envelhecem. (OMS, 2002). Os principais objetivos do envelhecimento saudável são a promoção da independência dos idosos e uma melhor qualidade de vida.

Assim, e em celebração deste dia, o município, em parceria com o Novo Dia (Associação para a Inclusão Social) e o CIPA (Centro de Informação, Promoção e Acompanhamento de Políticas de Igualdade), proporcionam uma tarde divertida e ativa para a sua população sénior.

Quando se fala de envelhecimento, na maioria das vezes, associamo-lo aos idosos e a um processo negativo, com consequências maioritariamente desagradáveis. Na sociedade atual, ainda existem algumas crenças, atitudes, preconceitos, estereótipos e suposições erróneas em relação ao processo de envelhecimento e aos adultos mais velhos. Estas ideias centram-se muito na diminuição das capacidades e do valor dos cidadãos seniores e acabam por influenciar as expectativas, as experiências de vida e a sua própria qualidade de vida. Mas, se formos ao cérebro da questão, o envelhecimento é um processo que começa no momento em que nascemos e que ocorre ao longo de toda a vida. Logo, continuamos a mudar e a desenvolver-nos após a infância e a juventude.

Quando falamos em envelhecimento pensamos muito no que acontece ao nosso corpo, mas o envelhecimento não acontece apenas a nível biológico. Para além de podermos ficar com mais cabelos brancos ou mais vulneráveis a algumas doenças, há outras mudanças psicológicas, nos papéis que desempenhamos, na nossa identidade, na nossa rede de apoio social, nos nossos objetivos, motivações, prioridades e preferências.

Apesar do envelhecimento ser um processo desafiante, também é positivo e tem diversas vantagens, como: mais sabedoria, maturidade emocional, mais capacidade de usar estratégias para lidar com problemas complexos e dar sentido e significado à vida.

Assim, envelhecer não significa apenas perder, também significa ganhar. Apesar das perdas inevitáveis que o envelhecimento nos traz, pode ser bom envelhecer. Envelhecer não tem de significar perder direitos, dignidade, autonomia e participação cívica. Pelo contrário, um envelhecimento saudável e bem-sucedido permite-nos adaptar às circunstâncias que mudam na nossa vida, mantendo-nos ativos e satisfeitos a todos os níveis. À medida que envelhecemos podemos e devemos continuar a investir na nossa vida e no nosso desenvolvimento.

Por fim, importa realçar, que a nossa atitude (mais positiva ou mais negativa) faz toda a diferença no nosso próprio envelhecimento e no envelhecimento dos outros, pois afeta a nossa Saúde (física e psicológica). Uma atitude negativa face ao envelhecimento pode levar-nos a ter expectativas desadequadas e a desinvestir da adoção de um estilo de vida saudável, das nossas relações sociais, da aprendizagem e desenvolvimento pessoal. Pelo contrário, uma atitude positiva ajuda-nos a ter expectativas realistas face ao processo de envelhecimento e está associada a uma melhor gestão das adversidades, mais bem-estar, maior investimento nas relações sociais e diminuição do risco de doenças e de mortalidade.

Para além de manter a Saúde Psicológica e Bem-Estar, viver uma vida com significado e realização pessoal, os cidadãos seniores podem dar contributos essenciais para a sociedade.

 

Pub