Victor Hugo Pontes apresenta “Uníssono – Composição para cinco bailarinos” no Teatro Micaelense

No próximo sábado, dia 28, no âmbito do Paralelo – Festival de Dança, o Teatro Micaelense acolhe “Uníssono – Composição para cinco bailarinos”, uma criação de Victor Hugo Pontes.

“Uníssono – Composição para cinco bailarinos” procura mostrar que nenhum objeto artístico é distinguível das pessoas que o compõem, e que nenhuma ocorrência artística é replicável, sendo, antes, essencialmente única. O «ritual» é um conceito operativo nesta peça: nas sociedades (humanas e animais), os movimentos fundamentais, simbólicos ou funcionais, são ritualizados, definindo à partida a norma e o desvio à norma, o padrão e a inovação, a tendência e a contracultura. Mas até que ponto o ritual é representativo? Cinco bailarinos em palco interpretando em uníssono movimentos ritualizados são um só corpo? Oblitera-se a individualidade? A perceção do espectador resulta da harmonia do todo, da especificidade de cada corpo em ação, ou de ambas?

“Uníssono – Composição para cinco bailarinos” é uma coprodução Nome Próprio, Teatro Municipal São Luiz e Teatro Municipal do Porto Campo Alegre . Rivoli. A Nome Próprio tem o apoio da República Portuguesa – Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes e é uma estrutura residente no Teatro Campo Alegre, no âmbito do programa Teatro em Campo Aberto.