O segundo ponto das recomendações de apoio extraordinário aos idosos, apresentadas pelo PS e aprovadas por unanimidade no parlamento açoriano, previa a criação de “duas equipas de profissionais, nomeadamente da área de enfermagem e de apoio ao idoso”, que ficassem em “estado de prontidão para apoiar as IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social] e Misericórdias, em caso de surto em estrutura residencial para idosos ou na rede regional de cuidados continuados”.

No debate do projeto de resolução no plenário da Assembleia Legislativa Regional, que se realizou hoje, em formato virtual, o vice-presidente do executivo açoriano, Artur Lima, anunciou, no entanto, que já foram criadas duas dessas equipas nas ilhas de São Miguel e Terceira, “em virtude do nível de transmissão comunitárias nestas ilhas”.

O governante centrista, que foi diagnosticado com covid-19 e diz estar “recuperado da doença, ainda que admita que “fisicamente, a seu tempo”, há de melhorar, adiantou que a equipa de São Miguel tem dez elementos e a da Terceira sete, sendo que o orçamento global afeto a estas estruturas é de 130.900 euros.

“Estas equipas, compostas por pessoal médico, profissionais da área de enfermagem, de psicologia e por trabalhadores auxiliares de apoio aos idosos, estão preparadas para atuar e suprir, de imediato, uma eventual carência de recursos humanos decorrente de um cenário de surto de SARS-CoV-2 que se venha a verificar em qualquer resposta social de acolhimento de pessoas idosas ou pessoas dependentes, independentemente das instituições sociais terem subscrito os acordos celebrados”, adianta o executivo em nota enviada hoje.

Artur Lima destacou que esta foi uma “medida aprovada em setembro, em Conselho de Governo”, pelo anterior executivo, e que “já foi concretizada por este Governo” de coligação PSD/CDS-PP/PPM.

O anúncio não impediu que as cinco recomendações que faziam parte do projeto de resolução socialista fossem aprovadas, por unanimidade, sem qualquer alteração.