Pub

“As alterações introduzidas na circulação de tráfego automóvel e o encerramento das ruas do centro histórico, promovidas pela Câmara de Ponta Delgada, não produziram os efeitos desejados no que toca à afluência de pessoas à baixa de Ponta Delgada” para realizarem as suas compras de Natal, consideraram os vereadores do PS na autarquia.

Numa nota de imprensa, os vereadores manifestaram assim a sua preocupação com as “medidas de trânsito implementadas para a quadra natalícia no centro da cidade”.

Em 03 de dezembro, foi anunciado que, de 09 de dezembro até 02 de janeiro de 2022, a circulação automóvel estaria interditada em várias ruas do centro histórico de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, tendo sido disponibilizados três autocarros gratuitos para fazer a ligação, aos sábados, entre os parques de estacionamento e o centro da maior cidade açoriana.

Na sequência dessa decisão, um grupo de 50 comerciantes do centro de Ponta Delgada entregou à Câmara Municipal um abaixo-assinado a pedir a “reabertura imediata” das ruas encerradas ao trânsito no período festivo.

Segundo os vereadores, “todo este processo poderia ter sido melhor articulado entre a Câmara Municipal e a Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada” para que os comerciantes viessem a ser “beneficiados com a maior procura pelos seus estabelecimentos comerciais, em vez de se pretender agora compensá-los financeiramente”.

“A compensação de eventuais prejuízos seria o reconhecimento de que as medidas tomadas não cumpriram os objetivos pretendidos”, lê-se na nota hoje divulgada.

Citado na mesma nota, o vereador socialista André Viveiros alerta para o facto de “existirem ruas nas quais é determinante retirar o estacionamento e alargar os passeios, para devolver segurança às pessoas e beneficiar o comércio tradicional”, sem descurar “a melhoria da qualidade de vida dos moradores do centro histórico, designadamente, com criação de novos parques de estacionamento de proximidade”.

André Viveiros defendeu uma “melhor conetividade entre os parques gratuitos da cidade e o centro histórico, com recurso a minibuses”.

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada (CCIPD), Mário Fortuna, disse recentemente ter a “garantia” de que o município vai compensar os comerciantes prejudicados pelo encerramento de ruas ao trânsito no centro histórico.

“A Câmara manifestou a intenção de, quem for objetivamente prejudicado, ser compensado. Vamos recolher mais informações para fomentar alguma sugestão adicional”, afirmou Mário Fortuna à agência Lusa.

E reforçou: “Tendo a garantia de que alguns comerciantes, objetivamente prejudicados, serão compensados também ajuda porque fica só a faltar a operacionalização deste propósito”.

Mário Fortuna destacou que a CCIPD emitiu um “parecer com reservas” à iniciativa do município e avançou que aquela associação empresarial vai realizar um inquérito para “apurar com mais precisão os impactos” das mudanças ao trânsito no centro da cidade.

Em 16 de dezembro, vários comerciantes criticaram à Lusa o encerramento de ruas de Ponta Delgada que, defenderam, afastou os clientes da baixa.

Pub