Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

O líder do Chega, André Ventura, disse hoje ter todo o interesse em resolver o conflito com o presidente da Assembleia da República, mas realçou que “lutará” para Augusto Santos Silva não chegar ao Palácio de Belém.

Em declarações à agência Lusa à margem de uma visita que está a realizar à ilha das Flores, nos Açores, André Ventura rejeitou que o Chega tenha um discurso de ódio, acusando Santos Silva de criar um “ponto de conflito” com o partido.

“O agudizar do conflito não é bom para ninguém. Não é bom para o parlamento. Acho que os portugueses não querem isto na casa da democracia: um conflito permanente entre o PAR [Presidente da Assembleia da República] e o grupo parlamentar. Temos todo o interesse em que isso se resolva”, afirmou.

Hoje, o Chega anunciou que pediu uma “audição urgente” ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre a condução dos trabalhos parlamentares pelo presidente do parlamento, acusando Augusto Santos Silva de “falta de isenção e independência”.

Este pedido surge um dia depois de os deputados do Chega terem abandonado o hemiciclo em protesto contra a condução dos trabalhos pelo presidente da Assembleia da República depois de este ter comentado uma intervenção de Ventura sobre estrangeiros em Portugal.

André Ventura revelou ainda não ter falado com Marcelo Rebelo de Sousa e disse esperar que o encontro decorra nos “próximos dias”.

“O problema aqui não é o discurso de Chega. É Augusto Santos silva ser mais o líder da bancada do PS do que presidente da Assembleia da República. Esse é que é o verdadeiro problema. E esse é um pouco inultrapassável, a não ser que o próprio tenha consciência disso e mude o seu comportamento”, declarou.

Na quinta-feira, em entrevista à RTP2, o presidente da Assembleia da República defendeu a sua intervenção em relação ao Chega como um travão ao discurso de ódio e não descartou uma candidatura nas próximas eleições presidenciais.

Em reação, André Ventura realçou que “lutará” para que Santos Silva não chegue à Presidência da República.

“Não sei se ele está a usar-nos para esse fim ou não, mas certamente que o Chega não tem nenhum gosto e lutará para evitar que Augusto Santos Silva seja Presidente da República”, reforçou.

Esta quinta-feira, a bancada parlamentar do Chega saiu do hemiciclo da Assembleia da República a meio de uma intervenção de Augusto Santos Silva, quando este respondia diretamente às críticas de André Ventura, que acusou o presidente do parlamento de não ser isento e representar o PS nas suas funções.

No debate de uma proposta do Governo que altera o regime jurídico de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros do território nacional, Ventura acusou o executivo de querer que os imigrantes “venham de qualquer maneira” para o país e afirmou: “Só há uns que nunca têm prioridade no discurso do Governo, os portugueses que trabalharam toda a vida, que pagam impostos e estão a sustentar o país”.

A intervenção do líder do Chega gerou muitos protestos por parte de vários deputados e levou à intervenção do presidente do parlamento.

Pub